18 SENADORES DÃO PRIMEIRO PASSO PARA DESTRUIÇÃO DA APOSENTADORIA DO GRÁFICO EM CONDIÇÕES DE TRABALHO PREJUDICIAIS Á SAÚDE

Se for aprovada a reforma previdenciária de Bolsonaro, os gráficos em trabalho insalubre e prejudicial à saúde, perderão o direito à aposentadoria especial, conforme o efeito prático previsto no artigo 21, já aprovado por 379 deputados aliados do governo federal, e ontem por 18 senadores da Comissão de Constituição e Justiça, mesmo contra a vontade de sete deputados ligados ao PT e outros partidos de oposição. Com isso, falta apenas a votação em dois turnos no plenário do Senado até outubro, e depois, se aprovado, a sanção presidencial. Nos termos desse artigo, o gráfico, mesmo exposto a agentes químicos ou outros nocivos à sua saúde por 25 anos, terá de ter 86 pontos (soma da idade com tempo de contribuição) para conseguir a aposentadoria (não mais) especial. Pela regra atual, sem a reforma da Previdência, o gráfico, independe da idade que tiver, aposenta-se com  25 anos de trabalho prejudicial a saúde. Pela nova regra, se aprovada, mesmo que o gráfico prove a insalubridade, terá de trabalhar pelo menos até a casa etária dos 60 anos de idade, mesmo com 25 anos de trabalho insalubre e prejudicial a saúde. 

FONTE: Com informações do DIAP