AÇÕES JURÍDICA E SINDICAL PARA COIBIR O RETORNO DE FALHAS PELO JORNAL DE JUNDIAÍ CONTRA OS GRÁFICOS

Os gráficos do setor de jornais, diferente dos trabalhadores das casas de obra, são mais afetados estruturalmente se levada em conta as grandes mudanças técnicas e comportamentais do mundo moderno. A era digital provocou mudanças de hábitos. Com isso, reduziu a tiragem dos jornais, prejudicando também jornalistas. Porém, a inovação também promoveu curiosidades nestes jornais que para se consolidarem nos meios digitais precisam manter o exemplar impresso, pois legitima socialmente a força política deste veículo de comunicação. E, neste processo, muitos jornais passaram a rodar serviços também das indústrias gráficas, a exemplo do que acontece no Diário de SP, em Jarinu; e outros ainda imprimem seu jornal e mais o de outras cidades que não possuem parque gráfico, como ocorre no Jornal de Jundiaí (JJ). Tais transformações garantem a manutenção financeira dos jornais e demandam o trabalho dos gráficos.

Apesar disso, jornais insistem em alegar dificuldades financeiras para cumprir as obrigações legais e sonegam direitos trabalhistas. O JJ, por exemplo, foi acionado pelo Sindicato da classe (Sindigráficos) durante quase o ano de 2016 inteiro. Salários atrasados e pendentes, verbas rescisórias em aberto, falta de depósito mensal do FGTS e outras falhas foram constatadas por queixas dos gráficos e respectiva ação sindical. Muitas foram as tentativas de sonegação dos direitos da Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da classe e de leis gerais do trabalho (CLT). Todavia, o JJ buscou se regularizar mediante a pressão sistemática dos trabalhadores e de sindicalistas, garantindo medidas para regularização.

“Não adianta o JJ vir com desculpa. A lei é para ser cumprida”, adianta Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos, enfatizando que se os gráficos não são convidados para participar das decisões administrativo-financeiras do Jornal de Jundiaí, então, não respondem por nada disso. Porém, denúncias recentes dos gráficos apontam quebra dos acordos e de novas irregularidades por parte do JJ. Salários voltaram a atrasar e há reclamações da classe de que nem todos receberam o 13º salário. O Sindicato apurou e constatou as sonegações e será realizada a reunião entre os sindicalistas e empregados nesta quinta-feira para tratar disso.

Durante a reunião com os trabalhadores, o Sindigráficos buscará saber de todas as quebras do acordo e novas sonegações. Os trabalhadores são todos convidados para participarem. Porém, sem unidade, pouco se avança. O Departamento Jurídico sindical inclusive participará e estará a disposição dos gráficos para acionar a Justiça em defesa dos direitos. Ações mais enérgicas também serão debatidas para coibir a repetição das sonegações. O Sindicato dos Jornalistas também foi convidado para participar da reunião, pois há irregularidades contra jornalistas do JJ.