AMAZON ACELERA DECLÍNIO DO MERCADO EDITORIAL BRASILEIRO E GOVERNO BOLSONARO PODE ENTERRAR EDITORAS COM MAIS IMPOSTOS 

A questão do livro no Brasil é urgente, desde o autor até a editora (inclusive os trabalhadores gráficos) e as livrarias, o formato precisa ser ajustado entre os pares para não se render ao monopólio bilionário da Amazon, que cresce às custas do trabalho de profissionais sérios que estão pensando a cultura e a literatura brasileira. As livrarias não foram capazes de frear o monopólio (da Amazon), as editoras não conseguiram ser pagas pelas livrarias e raramente teriam um valor de venda expressivo pela Amazon. Para piorar o cenário, há o risco eminente da perda de benefícios fiscais do livro na reforma fiscal proposta pelo ministro Paulo Guedes e atualmente em tramitação no Congresso. Num momento em que políticas públicas seriam necessárias para conter o desmonte do mercado editorial, o que está ocorrendo é a medida inversa, que pode ferir de morte editoras e livrarias. LEIA MAIS


FONTE: Com informações da Revista Rosa em 14/09/2020 in Revista Rosa