ANTIGA DELTA PROMO RECONHECE DÍVIDA DE R$ 300 MIL COM GRÁFICOS E PÕE MÁQUINA À VENDA PARA PAGAR

DELTA1 DELTA2

Depois de regularizar a contratação de mais 15 gráficos e de corrigir a data do pagamento salarial e do adiantamento quinzenal, que, desde o mês passado ocorre respectivamente nos dias 5 e 20, conforme define a Convenção Coletiva de Trabalho, a antiga empresa Del Promo, situada em Caieiras, acaba de dizer o valor das dívidas com seus trabalhadores em relação a pendências com a Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e o INSS. Os valores passam de R$ 200 mil. E ainda deve R$ 82 mil com multas por atraso salarial nos últimos anos. Além disso, existe também um débito com o FGTS dos funcionários. O cálculo está sendo feito e será apresentado ao Sindicato do Gráfico (Sindigraficos). Os altos valores foram informados este mês pelo diretor da empresa, Eurípedes Alves, durante a terceira reunião realizada em menos de 60 dias com o Sindicato. A entidade vem pressionando a empresa para que se busque resolver a questão. Assim, por se tratar de um problema de interesse direto dos empregados, já que todo esse dinheiro irá para eles mesmos,  os 100 funcionários da antiga Delta precisam se unir mais ao sindicato, através da sindicalização, a fim de fortalecer o órgão nesta luta para que se consiga o pagamento dessas dívidas em favor desses trabalhadores. 

DELTA3“A empresa deve R$ 190,663 mil só de INSS dos gráficos”, fala Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos. O dirigente diz que essa dívida caracteriza uma apropriação indébita por parte do empresário, já que ele se apoderou do dinheiro dos trabalhador que deveria ter sido recolhido à Previdência. A antiga Delta reconheceu também que deve R$ 22,845 mil da primeira parcela do PLR de 2014, além de R$ 7,090 mil com a 1ª e 2ª parcelas do PLR de 2013. Como costumava pagar o salário depois das datas determinadas pela Convenção Coletiva, a empresa acumulou uma multa de R$ 82,030 mil. O valor deve ser revertido aos trabalhadores. O patrão que atrasa o salário paga multa de R$ 42,67 por cada dia para o seu empregado. A dívida também foi reconhecido pelo diretor da Delta. A confirmação do débito foi realizada no dia 2 de setembro no sindicato.

DELTA4“Os funcionários precisam entrar nesta luta conosco”, convida Rodrigues a todos os gráficos para se sindicalizarem e fortalecer a luta para buscar tal dinheiro para os próprios trabalhadores. O sindicalista também está aguardando posição da empresa para confirmar qual montante da dívida sobre o FGTS dos gráficos que não foi recolhido à Caixa Econômica. O prazo final será no dia 30. Já há uma nova reunião entre os sindicalistas e a empresas para tratar do assunto neste dia. O novo encontro será na Sindigráficos às 9h. Na ocasião, serão discutidas formas de pagamento.

O  Sindigráficos garante que brigará para fazer valer a justiça em defesa dos trabalhadores. “A antiga Delta Promo precisa apresentar a forma de pagamento de toda dívida”, cobrou ao diretor da empresa o sindicalista Jurandir Franco durante a última reunião no início do mês. O empresário disse que vai vender uma máquina para pagar o débito. Eurípedes Alves garantiu que o valor da máquina é o suficiente para cobrir o montante da dívida. “Se vendê-la até o próximo dia 30, data da nova reunião, precisa pagar imediatamente os funcionários”, exigiu o presidente do sindicato. No entanto, se não vender até lá, o dirigente diz que a empresa precisa apresentar o cronograma de pagamento da dívida no encontro marcado.