AO INVÉS DE RENDER R$ 1 TRILHÃO, CAPITALIZAÇÃO DA PREVIDÊNCIA FARÁ O PAÍS PERDER 1,4 TRILHÃO, PROVAM ESPECIALISTAS NA CÂMARA

Nesta quarta-feira (29), durante audiência pública na Comissão Especial da Reforma da Previdência (PEC 06/19), na Câmara dos Deputados, professores de Economia da Unicamp e da Ibmec provaram que a mudança do regime da Previdência proposto pelo governo Bolsonaro, do atual sistema de repartição para o de capitalização, vai gerar prejuízo para o País e os futuros aposentados e lucro apenas para os bancos. A solução para a crise é crescimento econômico, com a consequentemente majoração das reservas tributárias. Mas a capitalização da Previdência, basta analisar a sua implementação no Chile, México, Colômbia e outros países, vai ampliar os custos do governo brasileiro. A estimativa inicial é de R$ 1,4 trilhão, e só levando em conta a Previdência dos trabalhadores da iniciativa privada.

O rombo nos cofres públicos ocorreria porque o velho regime (de repartição) continuaria pagando benefícios sem receber novas contribuições, que passariam a ser feitas somente para o novo modelo (de capitalização). Essa é um conta que o governo que precisa arcar. “Estudo da OIT (Organização Internacional do Trabalho) diz que sempre os custos de transição são muito superiores ao orçados inicialmente. Na Argentina, por exemplo, foi 18 vezes maior do que o previsto, e na Bolívia foi 8 vezes maior. Veja Aqui na íntegra as colocações dos professores do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec) Fábio Zambitte, e do Instituto de Economia da Unicamp Guilherme Santos Mello

 

FONTE: Com informações do PT na Câmara e foto da Folha Política