APESAR DAS UNIDADES DOS POUPA TEMPO FECHADAS NO ESTADO, SINDICATO GARANTE EMPREGO E BENEFÍCIOS PARA OS GRÁFICOS

Desde o mês passado, as 76 unidades dos Poupa Tempo no estado estão fechadas por conta da decretação de calamidade público pelo governador diante do coronavírus. E continuarão fechadas também neste mês de abril e ainda não sabe como ficará depois. Em Jundiaí e região, os gráficos que trabalham em unidades do Poupa Tempo estavam preocupados com os seus empregos. A fim de evitar demissões e a descontinuidade de benefícios para os empregados, a exemplo de vale-alimentação e plano de saúde, o Sindicato da categoria (Sindigráficos) atuou junto da empresa que terceiriza o referido trabalho. Um acordo coletivo foi feito anteontem. Garante emprego pelos próximos quatro meses e ainda vale-refeição diário mesmo com o gráfico em casa.  

“Dezenas de gráficos dos Poupa Tempos e das unidades dos Detrans nas cidades de jurisdição do Sindicato estão com seus empregos garantidos. Caso a empresa venha a demitir alguém sem justa causa, terá de pagar para o trabalhador uma multa no valor do salário nominal que ele recebia. A empresa também paga para o empregado uma multa no valor do piso salarial da categoria, caso descumpra qualquer uma das nove cláusulas contidas no acordo coletivo, este já assinado pela diretora de RH da Valid, Patrícia Piñeiro de Souza e Leandro Rodrigues, presidente do Sindicato dos Gráficos de Cajamar, Jundiaí, Vinhedo e região (Sindigráficos).

Pelas cláusulas definidas, todos gráficos dos Poupas Tempos e Ciretrans poderão ficar até dois meses em casa com os seus contratos de trabalhos suspensos, mas recebendo 30% do salário pago pela Valid e mais os 70% do Seguro-Desemprego. Mesmo em isolamento domiciliar para reduzir os contágios do covid-19, todos os empregados continuarão recebendo seus benefícios, a exemplo do vale-alimentação de R$ 90 mensal e do vale-refeição de R$ 14 (para quem tinha jornada de trabalho de 8h) e de R$ 8 (jornada de 6h). O plano de saúde também continua, assim como seguro de vida e auxílio-funeral. Portanto, todos os benefícios estarão mantidos.

Neste período de suspensão contratual, os trabalhadores poderão pagar o INSS de forma autônoma, já que o governo federal isentou as empresas de pagar, bem como o FGTS. Passado este período, os contratos voltam ao normal. Serão restabelecidos e a Valid não poderá demitir ninguém no mesmo período em que durar a suspensão. Portanto, se a suspensão foi até dois meses, período máximo estabelecido, a estabilidade no emprego dura pelo mesmo período. Assim, ao todo, são quatro meses recebendo seus benefícios, remuneração (parte pela empresa e parte pelo seguro) e a tranquilidade de saber que o emprego está garantido e a vida protegida. O Sindigráficos aproveita para pedir o apoio de todos os trabalhadores da Valid através do fortalecimento a entidade da classe, sindicalizando-se.