SINDICATO DENUNCIA E ART PRESS É AUTUADA E MULTADA POR SONEGAR FGTS. TRABALHADORES PRECISAM REAGIR

artpress1

O Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Gráfica de Jundiaí e Região (Sindigráficos) provou que a Art Press, em Valinhos/SP, é uma empresa sonegadora da lei do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Devia depositar todo mês na conta do FGTS do trabalhador o valor de 8% equivalente aos vencimentos salariais dos respectivos funcionários, mas não faz a tempos. A lei ainda obriga a pagar 40% adicional do valor acumulado do FGTS  do empregado quando este é demitido, e mais 10% para o Fundo de Amparo ao Trabalhador. A Art Press, porém, descumpriu tudo isso, mas não sairá ilesa, se depender dos sindicalistas. A empresa acaba de ser autuada por um auditor fiscal do Ministério do Trabalho, após fiscalização na última semana a pedido do Sindicato. Foram aplicadas multas pelo descumprimento da lei. O Sindigráficos não desiste e nem desistira de lutar, junto com os trabalhadores, para que recebam o dinheiro do FGTS que lhe pertencem. Apesar da ação sindical, o dinheiro do FGTS dos trabalhadores não está garantido se os gráficos da empresa não reagiram. O Sindigráficos está a disposição a realizar qualquer mobilização. Basta que os funcionários estejam dispostos a lutar pelo dinheiro dos seus FGTS e outros direitos, se necessário. “O sindicato ainda se coloca à disposição para entrar com uma ação judicial coletiva em nome dos funcionários para que eles não percam os seus FGTS, mas para isso é preciso se sindicalizarem, como trás o entendimento de setores da magistratura”, diz Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos.

SONY DSC

SONY DSC

Luis Carlos Laurindo, advogado do Sindigráficos, alerta os trabalhadores para a necessidade de recorrem na Justiça para garantirem o dinheiro do FGTS, caso a empresa insista em não pagar mesmo depois de ser autuada e multada por sonegar a lei fundiária. “Com a ação coletiva dos gráficos da Art Press, tendo o sindicato como representante legal, caso decidam, é possível inclusive pedir penhora dos bens da empresa”, fala o advogado.

artpress2“Vamos continuar à disposição dos trabalhadores para estas questões e outras sonegações se existirem”, diz Valdir Ramos, diretor do Sindicato. Ele conta que no passado, houve várias reclamações sobre sonegação no pagamento das férias, Participação nos Lucros e Resultados, atraso no pagamento do adiantamento quinzenal, entre outros. O dirigente diz que o órgão de classe se manterá vigilante pela garantia do direito de cada um, mas os trabalhadores precisam se unir e reagir.

Jurandir Franco, outro sindicalista que acompanha o caso, aproveita a situação para orientar os gráficos da Art Press para consultar o saldo do FGTS junto à Caixa Econômica. Ele alerta que apenas a informação do FGTS no holerite não garante que ele esteja sendo recolhido de fato. Somente a informação da instituição bancaria garante que o dinheiro está na conta.