AUTUADA POR SONEGAR PLR, GRÁFICA XIMENES/LX VOLTA A AGIR. FAZIA SORTEIO ATÉ PARA DIZER QUEM RECEBIA PLR

ximenes1

Uma lista de ataque aos gráficos. Esta é a realidade dos trabalhadores da Gráfica Ximenes/LX Oliveira, em Bragança Paulista. A empresa, que já foi autuada por fiscais do Ministério do Trabalho por não pagar a PLR dos seus funcionários, deverá receber nova fiscalização. Ela fazia até sorteio para definir qual empregado receberia tal direito obrigatório na data que lhe convinha. Na lista de irregularidades, além de não ter pago a primeira parcela da PLR dos gráficos deste ano, vencida desde abril, a empresa vem deixando de pagar o FGTS dos funcionários desde 2014, bem como tem problemas na cesta básica, no registro de profissionais e no pagamento de férias e das horas-extras de todos. O Sindicato da classe (Sindigráficos) já solicitou a ida dos fiscais para a empresa. A ideia é de que ela agora cumpra suas obrigações, se não quiser ser atuada outra vez, complicando-se ainda mais, além de posteriores efeitos judiciais e financeiros.

ximenes2“Não queremos prejudicar a empresa, mas como ela não aceita nossa cobrança e continua sonegando os direitos dos gráficos, faremos nosso papel em defesa da categoria”, diz Leandro Rodrigues, revoltado com tudo que acontece no local. Além de tantos problemas, ela ainda atrasa o salário dos gráficos e há muito tempo. A data definida para o pagamento é no dia 5 de cada mês, como define a Convenção Coletiva de Trabalho da classe, porém, isso normalmente não acontece.

Valter Correa, dirigente do Sindigráficos que atua em Bragança, alerta para outro problema muito sério: existe suspeita de que a cerca de um ano há dois gráficos laborando no local sem a Carteira de Trabalho assinada. O assunto também compõe o objeto da  fiscalização requerida pelo sindicato, bem como o não recolhimento do FGTS de todos trabalhadores desde o ano de 2014, além de outros descumprimentos da convenção coletiva.

“O não pagamento da PLR e os problemas com a cesta básica dos gráficos, como apontam as denúncias dos empregados, são claras violações à convenção”, diz o advogado do Sindigráficos, Luis Carlos Laurindo. Há indícios de que a Ximenes/LX Oliveira deixou de distribuir a cesta básica desde maio. Já são três meses sem receber o benefício. E de janeiro à abril deste ano, retirou um pacote de leite de cada cesta que foi entregue neste período.

ximenes3Correa ainda recebeu queixas de que a empresa não costuma entregar o comprovante de férias do gráfico, nem pagar os 30% adicionais. Além disso, outro problema corriqueiro no local ocorre quando o sábado é feriado, a exemplo do último dia 9. A empresa só libera 4h e não 7h20 da jornada semanal, como diz a Convenção, nem paga a hora-extra em questão.

Tudo já foi protocolado no pedido de fiscalização ao Ministério do Trabalho. “O gráfico não deveria ficar tanto tempo calado sofrendo tudo isso. Não esperem o mal ficar ainda pior. Denunciem e se protejam. Sindicalize-se AQUI“, diz Rodrigues.