BERCROM ATENDE SINDICATO E VOLTA A PAGAR HORA-EXTRA, CONTRATA MAIS GRÁFICOS, ELEVARÁ DIAS DE FÉRIAS E MAIS

Nesta segunda-feira (27) completa uma semana que a gráfica Bercrom reconheceu sua falha em relação ao pagamento das horas-extras dos 86 trabalhadores nos últimos três meses. A empresa, que está produzindo bastante nesta pandemia, estava aplicando um banco de horas proibido pelo acordo coletivo de trabalho com o sindicato da classe (Sindigráficos). Após reconhecer o erro em reunião por telefone com os sindicalistas, o gerente de RH da gráfica, Edielson Marrone, garantiu que já voltou a pagar normalmente e anunciou medidas compensatórias em favor dos trabalhadores afetados com o objetivo de amenizar o problema criado de 15 abril até 20 de julho.

“Entre as iniciativas empresarial, a gráfica Bercrom confirmou a efetivação no emprego de mais 16 gráficos que estavam com o contrato de trabalho temporário. É bom saber que as empresas começam a contratar de novo. Além dessa boa notícia, ela voltou a pagar aos mais de 100 funcionários por toda hora-extra realizada desde a última terça-feira (21)”, fala Leandro Rodrigues, presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Gráficas de Cajamar, Jundiaí, Vinhedo e região (Sindigráficos).

Durante a reunião por plataforma digital, o gerente de RH garantiu ainda outra forma de recompensar os trabalhadores pela falha cometida. Uma delas é não cobrar as horas ainda não compensadas pelos trabalhadores. Edielson disse que havia 60 gráficos nestas condições. “Logo, ninguém mais será obrigado a compensar por estas horas, uma vez que o nosso acordo coletivo de trabalho não permite nenhum tipo de banco de horas. Já existe esse acordo há anos, negociado pelo sindicato”, conta Leandro.

Outra forma de recompensar os trabalhadores pela falha cometida será aplicada àqueles gráficos que estão com horas de trabalho a mais nestes últimos três meses. A empresa conta que têm 30 gráficos nesta condição. “Portanto, estes profissionais terão estes dias revertidos em suas férias. Elas serão ampliadas. Terão um período de férias maior com base nestes dias de trabalho acumulados nos primeiros meses da pandemia”, conclui. Leandro espera que os gráficos reconhecem mais este trabalho sindical em defesa deles. Portanto, espera contar com a sindicalização de todos.