BINGO REUNIRÁ TRABALHADORAS PARA FESTEJAR O DIA DA MULHER E DEBATER OS DESAFIOS DELAS NAS GRÁFICAS

bingo1

Cerca de 1,8 mil mulheres trabalham nas indústrias gráficas de Jundiaí e Região. Estas profissionais enfrentam realidades diferentes em relação aos trabalhadores do setor. A maioria delas labora no Administrativo e no Acabamento, com predominância em serviço manuais. Os setores de Impressão, área de maior destaque e remuneração no ramo, bem como cargos de chefia, a exemplo de gerente de produção, são ocupadas por 100% de homens. As mulheres, por sua vez, ainda enfrentam com maior frequência, problemas relativos a assédios moral e sexual. O retrocesso socioeconômico no Brasil e os desafios para estas profissionais serão abordadas no Bingo delas, promovido pelo Comitê Feminino da entidade de classe (Sindigráficos). O evento contará com muitos prêmios, música, dança, comida, bebida e laser para as profissionais sindicalizadas, além de uma programação especial para as crianças. O Bingo, que é anual e ocorre em referência ao Dia Internacional da Mulher, será feito em 20 de março, 9h, na Associação dos Aposentados e Pensionistas de Jundiaí.

bingo4“Com o passar do tempo, a mulher tem se libertado mais e aprendido a sair, divertir-se, bem como não ficar calada frente à violência. A mulher  passou a denunciar e a procurar seus direitos”, fala Valéria Simionatto, coordenadora do Comitê Feminino do Sindigráficos. Assim, preocupada com as gráficas, o Comitê quer saber dos problemas vividos dentro das indústrias relacionados à discriminação contra as trabalhadoras. Desse modo, uma ação sindical pioneiro neste sentido será lançada no Bingo.

O Comitê já começou a convidar as profissionais nas gráficas. O evento é aberto só para as sindicalizadas. As trabalhadoras são encontradas na maioria das gráficas de toda a região. Porém, elas estão concentradas em algumas empresas: Jandaia, Gonçalves, Emepe, Cunha Facchini e  Nova Página, entre outras. “Além da falta de oportunidade noutras áreas com exceção do Administrativo e no Acabamento, a mulher, geralmente, enfrenta o assédio moral, que tem ampliado com a crise”, diz Simionatto.

bingo3Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos, relembra de iniciativas sindicais para buscar coibir os assédios e abusos de autoridade sobre as funcionárias. Ele cita ações na antiga Editora Três e na Nova Página. Os desafios das trabalhadoras, agravados com o retrocesso econômico, social e político/institucional no país, será exposto por Lidiane Araújo, que é sindicalista gráfica nordestina, convidada para socializar sua visão e experiências à frente do Sindicato dos Gráficos e do Comitê Feminino das Gráficas de Pernambuco. Lidiane é vice-presidente deste Sindicato.

bingo2O advogado do Sindigráficos, Luisinho Laurindo, por sua vez, reconhece que há características do setor gráfico que acaba relegando as mulheres a setores periféricos como no Acabamento, voltado ao serviço braçal e repetitivo. “Sabemos das dificuldades, mas, é preciso criar eventos com as trabalhadoras, como o Bingo, onde, além do entretenimento, favorece a interação e troca de informações reais sobre os problemas vividos por elas, para melhor avaliar tal conjuntura e assim propor o debate e ações pertinentes para que possam buscar sanar o teor discriminatório”, fala.

bingo5bingo0bingo7