BOCA NO TROMBONE – Novembro de 2011

D’arthy

A empresa continua desrespeitando as leis trabalhistas, explorando as pessoas que necessitam de trabalho, pessoas que são humildes e na maioria das vezes não conhecem seus direitos e submetem-se a essa pratica desumana.

O Sindicato vem adotando várias medidas, como fiscalização do Ministério do Trabalho e Emprego, Ministério Público do Trabalho e também com ações trabalhista na Justiça do Trabalho, onde conseguimos ganhar todas as ações em prol dos trabalhadores. Mas, o sindicato reitera que somente com organização no local de trabalho é que vamos conseguir acabar com essa humilhação.

Um aviso aos trabalhadores que acham que podem usar de seu poder de chefia para assediar seus colegas de trabalho, o patrão vai querer a empresa parada por causa da sua atitude irresponsável, de “puxa saco”, alguém que não se garante profissionalmente e fica tocando o terror nos colegas de trabalho, quem se enquadra nesse perfil, fique atento, por que está perto de acontecer isso nesta empresa.

PC Print

Depois da dificuldade com uma desastrosa associação e o fim do produto base, a nota fiscal, a empresa entrou com um pedido de recuperação judicial.

O sindicato na defesa dos direitos dos trabalhadores está acompanhando todos os passos nesse processo, junto com os que foram demitidos através das ações trabalhistas e os que estão trabalhando no parque fabril, como é a pratica desse sindicato todas as decisões serão tomadas em conjunto com os funcionários, sempre objetivando o respeito aos direitos dos trabalhadores.

Editora Três

A empresa passa por recuperação judicial, ocorrem muitas especulações, mas a verdade é que a empresa vem cumprindo com suas obrigações em relação aos direitos dos trabalhadores.

O jurídico do sindicato promoveu mais de 300 ações trabalhistas onde somente 07 ações continuam sendo discutidas com grande chance de acordo satisfatório para os trabalhadores, e as outras ações, todos os trabalhadores já receberam ou estão em faze de conclusão de recebimento.

A diretoria do sindicato informa que os sócios não tiveram nenhuma despesa com os processos, e agradece a confiança dos trabalhadores na condução de todo o processo passado pela empresa.

 

Log & Print

Na Log Print a luta continua. Após fechamento da campanha salarial os trabalhadores da Log Print irão dar continuidade na Luta pela PLR, Nos últimos anos a empresa manteve uma posição muito duro afirmando passar por um período de turbulência, porem este ano a situação foi muito  diferente com um investimento na ordem de 80 milhões de reais, a empresa volta a ser uma das principais no Pais e os trabalhadores com certeza não vão abrir mão de sua fatia. Além, disso com a empresa vem aumentando significativamente o seu volume de produção graças à aquisição da TECNOCÓPIAS e um grande investimento feito em maquinário de ultima geração.

Na contra mão de tudo isso não feito nenhum investimento significativo na área de saúde e segurança, e o resultado deste erro já apareceu são inúmeros trabalhadores com problemas respiratórios gerados pelo excesso de pó de papel em uma grande falha do sistema de aparas, a um risco eminente de acidente de trabalho, pois a empresa esta abarrotada com inúmeras pilhas de papel atrapalhando a circulação.

Fizemos uma diligencia na empresa com um técnico de segurança do trabalho ara levantar todas as irregularidades e mais uma vês cobraremos um posicionamento da Log Print junto com uma proposta sobre a PLR e logo depois discutiremos numa assembléia com todos os trabalhadores da empresa.

Bandeirantes

Na Bandeirantes, apareceu uma advogada bastante conhecida do setor gráfico. Tal fama foi adquirida graças a seu ponto de vista totalmente Neoliberal e desrespeitoso com a legislação trabalhista, A tal advogada vem instruindo as empresas onde trabalha a aplicarem demissões por justa causa sem motivos plausíveis, descontar a cesta básica de quem falta, com ou sem atestado, desrespeitando totalmente a CCT Vigente.

Na última mesa redonda no ministério do trabalho ela chegou até peitar o fiscal.

Como conseqüência a mesa foi revertida em fiscalização trabalhista e quem vai pagar por isto? Com certeza a Litografia. Tentamos alertar a empresa através do seu departamento de RH, Mas infelizmente nos mandaram procurar a tal advogada. Vamos ver a hora que o fiscal chegar à empresa e fazer um pente fino! Qual será a desculpa que ela ira inventar para a direção da Bandeirantes.