BRAGANÇA JORNAL REDUZIRÁ SALÁRIO DOS GRÁFICOS DEPOIS DELES SEGUIREM CONVERSA FIADA DE REJEITAREM SINDICATO

Uma suposta economia ilusória levou os gráficos do Bragança Jornal a desfiliarem-se e a não contribuírem financeiramente com o Sindicato da categoria (Sindigráficos). E, agora, depois de acreditarem na conversa fiada de que a empresa protegeria seus direitos, ficaram sabendo que a direção do jornal quer reduzir os seus salários a partir do início de 2019. Ao enfraquecerem a entidade de classe, pois nenhum deles fez questão de ajudarem na manutenção do sindicato, o jornal percebeu a fragilidade dos trabalhadores criada pelos mesmos. E, agora, agindo contra a lei, o patrão pressiona para que haja a redução salarial daqui a quatro meses.   

“Acredito que os gráficos deste jornal descobriram que foram enganados como aqueles trabalhadores que em 2016 acreditaram no pato amarelo da Fiesp, se opondo a um governo que defendia a classe trabalhadora, entrando depois Temer para retirada de vários direitos trabalhistas”, diz Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos. Agora, após os riscos, percebem a relevância de procurar o sindicato para terem alguma ajuda.

Apesar da dor dos gráficos com a possibilidade da redução dos salários e jornada após abandonarem o sindicato, com desfiliação e fragilizarem a entidade, por acreditarem na conversa patronal que iria protegê-los, o sindicato não abandonará o trabalhador. “Estamos à disposição de que todos gráficos ameaçados com a perda de dinheiro marquem reunião conosco em Bragança, pois estaremos lá”, conta Jurandir Franco, diretor sindical. Ele lembra que este tipo de redução salarial e jornada só pode ocorrer através de um acordo coletivo de trabalho, feito com o sindicato.

O Sindigráficos fica no aguardo da sinalização dos trabalhadores sobre o local e quando será a reunião para que possa participar a fim de atuar em prol de todos, mesmo após os empregados serem enganados pelo patrão e por profissionais que estimularam a desfiliação e até a oposição à entidade sindical. Só juntos, o gráfico pode ser mais forte. Portanto, o sindicato continuará à disposição de todos, desde que estejam dispostos a lutarem juntos com seu órgão de representação da categoria.

No passado, a participação dos trabalhadores do Bragança Jornal já foi bem ativa, mesmo antes da maior atuação dos Sindigráficos em defesa da classe nos últimos anos, após a reformulação do órgão. “Esperamos que os gráficos desse jornal restabeleçam a sua consciência de classe, unindo-se novamente ao sindicato para preservação de seus salários”, diz Jurandir.  Em 2017, por exemplo, o Sindicato atuou para coibir o atraso salarial de forma continuada pela empresa. Regulou o pagamento no dia 5 e não no 5º quinto útil de cada mês. No período, atuou ainda para reajustar o valor pago da cesta básica. Houve então um aumento de R$ 140 para R$ 166.