CESTA BÁSICA, PLR E FGTS NA MIRA DO SINDIGRÁFICOS. ANO INICIA COM COBRANÇA EM EMPRESAS POR DEFESA DA CLASSE

Há poucos dias, um dos donos da Clicherlux, empresa do ramo gráfico situada em Valinhos, com mais de 100 funcionários, atendeu o chamado do Sindicato dos Trabalhadores da categoria (Sindigráficos) para prestar contas sobre pagamentos de cestas básicas mensais e PLR anuais, ora pendentes desde 2015. O empresário Fabiano Machado, que fez acordo anteriormente com a entidade para pagar todo passivo, comprovou que vem quitando tudo com base no cronograma definido ainda em 2017. Os comprovantes foram expostos. Na ocasião, ainda honrou outro acordo. Definiu o prazo final para levantar a dívida com o FGTS de cada gráfico e para iniciar a negociação da quitação total. A clicheria também provou que deixou de atrasar o pagamento salarial e que garante todos direitos.

“Por esta e outras razões em defesa dos direitos dos trabalhadores, está mais que na hora de cada gráfico da Clicherlux e de outras empresas da região valorizar seu sindicato com a sua sindicalização, pois, agora, com a reforma trabalhista que alterou a forma da manutenção das entidades de classe, o sindicato tende a centrar na defesa dos gráficos filiados ao órgão de classe”, alerta Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos. O sindicato tem feito a sua parte. Ta mais que na hora do gráfico ainda não sindicalizado fazer a sua parte também, garantindo o sindicato ativo.

Na Clicherlux, por exemplo, a ação sindical garantiu que seis meses de cesta básica pendentes e mais dois anos de PLR estejam sendo pagos. “Desde outubro, após meses cobrando, a empresa passou a pagá-los. E  concluirá o débito das cestas em março e da PLR em julho”, diz Jurandir Franco, diretor sindical. E em abril, volta a se reunir com o sindicato para mostrar o tamanho da dívida com o FGTS dos gráficos e como pagará. Mas, ainda assim, a maioria desses gráficos ainda não se sindicalizou. É preciso se filiar para manter o sindicato ativo, atacada inclusive pela lei da reforma trabalhista. Sem o sindicato, todos perdem. Sindicalize-se ja!

O passivo da Clichelux com o FGTS, cesta básica e PLR ainda podem ser quitados pela empresa de imediato, conforme definido no encontro. O proprietário garantiu que pagará tudo ao gráfico que for demitido ou que pedir demissão, sem imbróglio na hora da rescisão contratual. “Foi o que ocorreu na última sexta-feira, na subsede do Sindicato em Vinhedo, durante a homologação da rescisão de uma trabalhadora desta gráfica que pediu desligamento”, fala Franco, que estava na local. Ele diz que a empresa agiu responsavelmente, pagando todas as verbas rescisórias e os demais direitos gerais e convencionados, além do FGTS na íntegra.