CIPEIROS DA GRÁFICA LOG&PRINT ELEITOS COM PRESENÇA DO SINDICATO PARA PRESERVAR SAÚDE DOS EMPREGADOS

cipa1

Nos próximos dias, nove dos 20 gráficos da Log&Print, em Vinhedo/SP, que participaram da eleição da nova Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) na empresa, realizada na quinta-feira (28), assumirão a indispensável função de cuidar da preservação da integridade física e da saúde do conjunto de trabalhadores no exercício da profissão no local. A questão inclusive demanda uma maior atuação da empresa no sentido de evitar dificuldades enfrentadas pelos empregados nos últimos anos, como o calor excessivo, que gerou até uma greve em 2015, significativa dispersão de pó de papel e diversas mãos presas em máquinas. Todos esses problemas citados já foram resolvidos após a intervenção do Sindicato da categoria (Sindigráficos), mas o fato chamou a atenção da entidade que decidiu acompanhar esta eleição dos cipeiros e a apuração dos votos. Dos noves escolhidos pelos funcionários, cinco serão titulares e quatro suplentes. A novidade é que uma trabalhadora do setor do Acabamento integrará a nova Cipa na Log&Print. O Sindigráficos parabeniza os novos cipeiros e se mantém à disposição de todos para continuar colaborando na efetiva defesa da saúde e segurança da classe.

cipa3A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes é formada por Mario Luiz, Reinaldo Aparecido, Agnaldo Bertagila, Fábio Lopes, Robervaldo Bonon, Agnaldo Alves, Khayani da Silva, Celso Nunes e Marcelo Napoli. Cada um desses trabalhadores passam a ter estabilidade no emprego durante o mandato de cipeiros e um ano após. A estabilidade está posta pela lei e visa dar condições para eles atuarem efetivamente em defesa da saúde e segurança do conjunto de trabalhadores, que os escolheram nesta eleição para atuarem justamente neste sentido. “O candidato a cipeiro deve sempre ter em mente que a sua responsabilidade é ajudar na garantia da saúde e da segurança de todos, identificando os riscos no local de trabalho e propondo medidas corretivas”, falou um dos técnicos em Segurança do Trabalho da gráfica durante a eleição da nova Cipa. Ele lembrou também que cada gráfico, responsável por opera cada máquina no dia a dia, é indispensável neste questão.

cipa2“A Cipa é relevante no cotidiano para estimular o empregado a trabalhar de forma certa sobre a saúde e a segurança dele na empresa”, ressaltou outro técnico em Segurança do Trabalho da Log&Print durante a eleição. O especialista também frisou a importância da atuação conjunta neste quesito entre os cipeiros, demais trabalhadores e os sindicalistas. “Isso pode garantir o adequado funcionamento e a atuação efetiva da Cipa de modo a fortalecer ações para manter um ambiente de trabalho mais seguro para todos empregados de todos os setores”, referendou Valdir Ramos, que é gráfico da Log&Print e sindicalista que acompanhou a votação da Cipa.

Valeria Simionatto, também sindicalista e gráfica da empresa, aproveitou para destacar o ingresso de uma mulher na Cipa, a funcionário Khayani da Silva. “Ela, que é do setor de Acabamento, será importantíssima para atuar em prol da saúde do conjunto das trabalhadoras no local”, disse. A sindicalista também coordena o Comitê de Mulheres do Sindigráficos e possui uma preocupação em especial no tocante à preservação da saúde e da integridade física das funcionárias da classe, bem como outros temas voltados ao respeito e à valorização dessas profissionais nas empresas do ramo na Região.

cipa4Histórico de problemas

O presidente do Sindigráficos, Leandro Rodrigues, ratifica os parabéns aos novos cipeiros e aproveita o momento para chamar a atenção de todos no sentido de atuarem, na medida do possível, para evitarem dificuldades contra a saúde dos trabalhadores como já ocorreu no passado, a exemplo do calor excessivo, significativa dispersão de pó de papel e várias mãos dos gráficos presas em máquinas na Log&Print, que foi sanado depois da intervenção do Sindicato com a realização até de uma greve contra o calor. “Hoje há climatizadores e mais exaustores instalados no local, também foi trocado todo o sistema de apara de papel, além melhorar as máquinas perigosas”, diz Rodrigues, lembrando que o trabalho é permanente.

Mais dificuldades

“O corpo do trabalhador é o único patrimônio que ele têm e o Sindicato tem grande preocupação de manter a saúde e a segurança de cada um dos trabalhadores”, destacou Marcelo Sousa, diretor do Sindigráficos. O dirigente lembra aos gráficos que, com a pressão maior dos patrões pela aplicação de jornada excessiva, os funcionários ficam mais expostos a acidentes laborais (de trabalho) com risco de mutilações e doenças ocupacionais. Com isso, amplia-se a dificuldade do gráfico, quando demitido, conseguir um novo serviço. Alem disso, o presidente interino Temer, que editou uma medida para limitar o auxílio-doença e a aposentadoria por invalidez, elevará o drama.