Com Padilha confirmado em São Paulo, Lula ressalta luta entre ‘esperança e ódio’

Lula_PadilhaNeste domingo (15), o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha foi homologado como candidato do PT ao governo do estado de São Paulo por mais de 15 mil pessoas, no ginásio da Portuguesa, zona norte da capital paulista. Nos discursos, os destaques se concentraram, além do próprio Padilha, na presidenta Dilma Rousseff e no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Último a discursar, Lula não se furtou a fazer o embate que classificou como uma luta da “esperança contra o ódio”. “Temos que fazer uma campanha para a esperança vencer. Se em 2002 fizemos campanha para a esperança vencer o medo, agora vamos fazer a campanha para a esperança vencer o ódio”, ressaltou.

Com uma crítica à elite do país, o ex-presidente evidenciou o campo em que se dará a disputa eleitoral. “Provamos que somos mais competentes que eles. O ódio deles contra nós é porque, pela primeira vez na historia deste país, provamos para a elite que somos mais competentes.”

Ele rememorou as políticas aplicadas pelo partido na gestão do governo federal desde 2003 e, assim como outros petistas que discursaram no evento, reforçou a importância do debate eleitoral ser norteado por projetos e realizações.

Ao final da fala, Lula se dirigiu a Alexandre Padilha e o conclamou “para mudar de verdade” o estado de São Paulo.

Antes, Padilha havia destacado que São Paulo necessita de um governo “mais humano e solidário”. “Vamos fazer São Paulo melhor em tudo e melhor para todos. O estado precisa de um governo que entenda que defender os direitos do nosso povo é fortalecer o nosso estado. São Paulo precisa de um governo mais humano e solidário”, pontuou.

Já a presidenta Dilma Rousseff – que não pôde comparecer ao encontro – enviou mensagem gravada, que foi exibida num telão aos participantes. Em referência clara à gestão tucana de Geraldo Alckmin, principalmente na questão da administração da água, em que o peessedebista teve de recorrer ao volume morto do Sistema Cantareira, reserva abaixo do nível das bombas de sucção da Sabesp que começou a ser captada no mês de maio para compensar a queda histórica dos reservatórios e sobre a qual há dúvidas a respeito da qualidade, Dilma afirmou que Padilha é “o mais preparado para assumir o governo paulista” e que o candidato do PT ao governo estadual é o “volume vivo que São Paulo precisa”.

Também foi definida a candidatura à reeleição do senador Eduardo Suplicy, bem como os candidatos petistas que vão disputar cadeiras na Assembleia Legislativa de São Paulo e na Câmara dos Deputados.

 

Fonte: STIG Jundiaí com Rede Brasil Atual