CONATIG SE APROXIMA DO MPT-CONALIS EM DEFESA DOS DIREITOS DOS GRÁFICOS

A Coordenadoria Nacional de Promoção da Liberdade Sindical do Ministério Público do Trabalho (Conalis/MPT) recebeu sindicalistas do setor gráfico brasileiro, a exemplo de Leandro Rodrigues, presidente do Sindicato dos Gráficos de Cajamar, Jundiaí, Vinhedo e região (Sindigráficos) 

O impacto sobre os direitos sindicais e trabalhistas é significativo no Brasil desde a validação da nova lei do trabalho. E piorou com o fim do Ministério do Trabalho neste ano. A fim de buscar formas institucionais de proteção à organização sindical da classe trabalhadora em defesa das condições laborais, direito e salário, a Confederação Nacional dos Gráficos (Conatig) buscou a aproximação da Conalis/MPT. O novo coordenador do órgão, o procurador Ronaldo Lima dos Santos, mostrou a necessidade de medidas idênticas das apresentadas pela entidade dos gráficos na última semana.

Pelo menos quatro das propostas defendidas pela Conatig terão sintonia direta com as prioridades da Conalis sob a gestão do procurador-chefe do órgão, empossado há poucas semanas. “Foi positivo esse encontro inicial de aproximação. O procurador se mostrou muito sensível à questão e ficou aberto um canal para ações conjuntas. Mostramos o cenário da luta e desafios sindical dos gráficos no país, dentro da nossa organização nacional através da Conatig”, falam Leonardo Del Roy e Joaquim Oliveira, presidente e secretário-geral da Confederação, presentes no encontro.

A Conatig apresentou pautas gerais para o procurador onde defende a necessidade da atuação do MPT na proteção da organização sindical, na busca da pacificação de conflito coletivo em gráficas e no incentivo às negociações coletivas para melhorar as condições laborais. E ainda para o combate dos atos antissindicais, para a validação das assembleias dos gráficos e para o enquadramento sindical das empresas, bem como atuar em procedimentos em curso de interesse da Conatig e de seus sindicatos.

Dentre esses pontos, o procurador-chefe da Conalis apontou quais serão as prioridades de sua gestão, muitas delas de interesse vital da Conatig e do movimento sindical como um todo. Colocou a sustentabilidade dos órgãos sindicais como necessidade prioritária, bem como a ação do MPT contra os atos antissindicais. Ronaldo também defendeu o fomento das mediações de conflitos entre capital e trabalho. Vai investir na capacitação de procuradores para este fim e para a mediação de negociação coletiva.

A reunião foi articulada pela advogada e assessoria jurídica da Conatig, Zilmara Alencar, presente no encontro. Leandro Rodrigues, secretário de Comunicação da Conatig, também participou e fez questão de destacar a sintonia apresentada pelo novo coordenador da Conatig/MPT. O dirigente acredita que deve haver novas reuniões e poderão ser abordadas pautas específicas dos sindicatos representados pela Conatig. “O procurador já até acompanha algumas demandas pertinentes ao setor gráfico, como o grave acidente de trabalho na gráfica Braspor, na região de Barueri/Osasco.