DEPOIS DO DESMONTE DA CLT, DEPUTADOS ALIADOS DE TEMER PODEM ATACAR AGORA A APOSENTADORIA NO PAÍS

A reforma da Previdência (PEC 287/16) é um dos principais temas pendentes de análise pelo plenário da Câmara dos Deputados no segundo semestre deste ano. Aprovada no começo de maio em comissão especial, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/16, do Executivo, aumenta a idade exigida para aposentadoria, tanto no INSS quanto no setor público, para 62 anos de idade, se mulher, e 65 anos, se homem (condicionado a pelo menos 25 anos de contribuição ao INSS), além de outros prejuízos para a classe trabalhadora. Para ser aprovada, a matéria precisa do voto favorável de ao menos 308 deputados, em dois turnos de votação.

De acordo com relatório do deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), estão previstas transições para os atuais segurados da Previdência, com o cumprimento de um pedágio para poder se aposentar e diminuição do valor da aposentadoria. O governo, que vive grave crise política, que se aprofunda, e dessa forma terá grande dificuldade de votar a proposta. À medida que se aproxima do ano eleitoral essa dificuldade se aprofunda e se avoluma. Caso não tenha condições políticas de votar a PEC este ano, no próximo não vai conseguir, pois, em geral, matérias com esse grau de complexidade não são votadas em ano eleitoral.

FONTE: Com informações do DIAP