DESEMPREGO CRESCE MAIS ENTRE TRABALHADORES(AS) NEGROS(AS) DURANTE A PANDEMIA DO CORONAVÍRUS

Apesar de hoje ser o Dia da Consciência Negra, o cenário não é nada animador. A persistente desigualdade entre negros e brancos no mercado de trabalho ficou ainda mais acentuada durante a pandemia. Homens e mulheres negros sentiram, de forma mais grave, os danos do isolamento e da redução do nível de atividade econômica. É o que revela o Boletim Especial do Dieese, baseado em pesquisa do IBGE. Os dados mostraram que mais de 6,4 milhões de homens e mulheres negros saíram do mercado de trabalho, entre o 1º e o 2º trimestre de 2020. Ou seja, perderam ou deixaram de procurar emprego por acreditar não ser possível conseguir. Entre os brancos, o número de pessoas nessa mesma situação chegou a 2,4 milhões. Em relação ao salário de quem está trabalhando, no segundo trimestre de 2020, o salário médio do homem branco ficou em torno de R$ 3.450,00. Enquanto da trabalhadora negra foi de R$ 1.575,00, em média. LEIA MAIS

FONTE: Com informações de Fenafar