DONO DO GRUPO FAKKA SAI DE STA CATARINA E SE REÚNE HOJE EM JUNDIAÍ COM O SINDICATO PARA SANAR FALHAS

fakka1 fakka2 fakka3

Nesta segunda-feira, 28, uma semana depois de outra ação sindical na unidade de Valinhos/SP do Grupo Fakka, com a presença dos gráficos, o dono do grupo, que reúne várias clicherias em muitos estados do país, deixou o seu estado natal de Santa Catarina, onde tem duas unidades, e está em São Paulo para tratar de suas irregularidades junto ao órgão de classe dos gráficos (Sindigráficos) no interior paulista. A informação foi antecipada pelo próprio empresário ao sindicato, por telefone, na última assembleia dos funcionários em Valinhos, ocorrida na segunda, 21. Os trabalhadores estavam dispostos a parar a produção novamente, semanas após uma primeira paralisação, pois a Fakka voltou a cometer irregularidades, atrasando os salários e os vales transportes. E ainda rompeu o acordo com o Sindigráficos sobre a resolução de pendências no pagamento do FGTS e das multas por atraso do pagamento salarial. A ida do empresário a Valinhos foi uma demonstração dele mesmo de boa intenção de querer retomar o acordo e resolver todos os problemas. O Sindicato aguarda que a promessa se cumpra, bem como suas falhas. 

fakka4“Após descobertas as várias irregularidades da empresa pelo sindicato, e do acompanhamento sistemático das questões, a empresa começou a saná-las, iniciando pelo pagamento, em dinheiro, de cestas básicas e de vales transportes atrasados de vários meses”, conta Leandro Rodrigues, presidente do Sindicato.

A bronca é que mais pendências permanecem, a exemplo do FGTS e das multas por atraso no pagamento salarial dos funcionários, conforme determina a Convenção Coletiva de Trabalho dos gráficos paulistas. Só de FGTS o Grupo Fakka já deve R$ 300 mil.

O valor das multas por atraso no pagamento do salário dos funcionários também deve ser alta, já que a multa é de R$ 42,67 por dia de atraso a cada empregado. Era bastante comum a empresa atrasar os salários.

fakka5A resolução efetiva do FGTS e das multas, como constava no respectivo acordo rompido, é que será o tema principal do encontro entre o dono do Grupo Fakka e o Sindigráficos. Estes pontos inclusive, segundo disse a empresa ao sindicato na última semana, começaram a ser resolvidos.

“A empresa nos apresentou o levantamento do valor da dívida com as multas por atraso no pagamento salarial”, contou Rodrigues. O dirigente fala que a empresa disse também ter feito a solicitação do pagamento parcelado da dívida com o FGTS de todos os empregados do Grupo, inclusive os dos demais estados, junto à Caixa Econômica em Brasília. Falta apenas a análise e a resposta do banco sobre o referido pedido.

A luta do sindicato tem sido reconhecida pelos funcionários da empresa, nos quais, quase todos se filiaram ao órgão de classe no período. Sindicalize-se e fortalece seu sindicato! Faça sua filiação online. CLIQUE AQUI!