EMPREGOS PARA GRÁFICOS À VISTA. JJ OFERECE VAGAS, MAS ATRASA SALÁRIO E ETC. NA GONÇALVES, TUDO É PAGO CERTO

Impressores e auxiliares de impressão à procura de emprego têm vagas em aberto no Jornal de Jundiaí (JJ) e na gráfica Gonçalves em Cajamar. Os candidatos devem enviar os currículos às empresas imediatamente. No caso da Gonçalves, que ainda seleciona candidatos para a área de Orçamentista Gráfico de Embalagens, todos com experiência e registro na carteira, os currículos podem ser enviados também para o Sindicato da classe (Sindigráficos) através do e-mail contato@sindigráficos.org. A empresa ligou para a entidade no sentido de divulgar tal processo, tendo todas etapas seletivas e admissão do candidato à critério da Gonçalves. O sindicato só divulga tais vagas, recebe currículos e envia à empresa.

“No caso das contratações do JJ, o sindicato alerta aos candidatos que, apesar da necessidade de se conseguir um emprego, os admitidos terão grande dificuldade de receber seus salários e direitos”, adianta Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos.

O dirigente se baseia na atual situação do jornal que já acumula uma dívida trabalhistas de quase R$ 1 milhão com os gráficos, jornalistas e os profissionais do Administrativo – situação já denunciada no Ministério Público do Trabalho (MPT), sem contar o débito relativo ao Fundo de Garantia. É por isso que já corre na  Justiça do Trabalho uma ação coletiva para rever o FGTS dos gráficos. Por esta razão, o Sindicato não envia o currículo de ninguém para o JJ.

Além disso, vários gráficos do JJ inclusive já pediram demissão devido a tantas irregularidades, sobretudo diante do não recebimento do salário no mês trabalhado. Neste caso, o Sindicato entrou com ações judiciais de rescisões indiretas – aquelas que o gráfico demite o patrão por conta das irregularidades sistemáticas no cumprimento dos direitos e salários.

“Ademais, mesmo após denúncia no MPT, os gráficos que lá continuam trabalhando sofrem com a permanente falha no pagamento do salário e demais direitos”, ressalta Jurandir Franco, diretor sindical. Ele ratifica de forma prévia o adverso cenário que irão enfrentar os ainda interessados a estas vagas de auxiliares de impressão e de intercaladores no jornal.

Na Gonçalves, por sua vez, a gráfica cumpre seus deveres trabalhistas. A empresa já possui 500 trabalhadores e procura mais para quem já tem experiência com registro na carteira de trabalho na área de impressão e de auxiliar offset a partir de quatro cores no segmento de Embalagens. É preciso ter ensino médio e mais o curso técnico no Senai no caso do impressor. O candidato à orçamentista também precisa ter ensino médio e a devida experiência e o registro na carteira na área de Embalagens.