EMPRESA DENUNCIADA POR DESVIAR FUNÇÃO DE GRÁFICO PARA FAZER A LIMPEZA DE BANHEIRO E SERVIÇO PRIVADO

Embora seja antiga conhecida do Sindicato dos gráficos (Sindigráficos) por tentar sonegar direitos dos trabalhadores, inclusive deixou de pagar recentemente as verbas rescisórias de um ex-funcionário, a RotPel, em Jundiaí, surpreende com possível e inusitado desvio de função no local. Denúncias revelam procedimentos ilegais e imorais que têm obrigado certas empregadas gráficas do setor de Acabamento a fazerem serviço de limpeza da empresa, inclusive de banheiro, servirem café ao patrão e realizarem o pagamento externo das contas particulares do empresário. O sindicato acionou a empresa para prestar esclarecimentos e ajustes, sobretudo corrigir a anotação inadequada da função de serviço geral na carteira de trabalho das trabalhadoras que realizam atividades gráficas, sob pena de sofrer diversas sanções legais diante desta grave violação.

“Ha três meses, tivemos um outro caso de desvio de função lá. À época, a RotPel contratou ilegalmente alguém para fazer o serviço de auxiliar administrativa, mas estava serviço geral na carteira de trabalho. O caso logo chegou ao conhecimento do Sindicato e foi corrigido na sequência”, informa Jurandir Franco. O dirigente, que repudia a repetência agora do caso, diante da então contratação de uma gráfica para o acabamento, mas registrada na carteira como serviço geral, conforme aponta a nova denúncia, observa que parece existir uma prática delituosa intencional. O Sindigráficos avalia as sanções cabíveis enquanto espera o dono da gráfica responder a notificação de reunião na entidade. Será discutido inclusive várias queixas de que há funcionários sem registro profissional.

A homologação pendente da rescisão de contrato de um gráfico devido ao não pagamento das verbas rescisórias onde consta multa no valor de um salário normativo por atraso no FGTS do trabalhador, como define a CLT e Convenção Coletiva da classe, será também tratada no encontro. O caso já foi tema de reunião anterior no sindicato e outra no Ministério do Trabalho, onde a empresa se comprometeu em sanar mas não o fez. “Por isso, voltamos ao tema, mas adiantamos que a RotPel está sendo acionada na Justiça pelo descumprimento do acordo, onde além do que terá de pagar, será acrescido de outras multas cabíveis”, fala Rodrigues.

O Sindigráficos também cobrará a aquisição de um novo equipamento na Rotpel para esquentar as marmitas dos trabalhadores para almoçar. “O aquecedor de marmita, como define a convenção, é obrigatório nas gráficas quando elas não oferecem tíquete alimentação ou outros meios de refeição”, diz Franco. O dirigente lembra que não adianta a empresa oferecer outras máquinas para aquecer a comida, como micro-ondas, e em quantia insuficiente para atender a demanda na hora da refeição dos gráficos. Se assim fizer ou insistir, estará contra a lei, sendo passível de sanções. Denunciem AQUI  se a sua empresa também estiver irregular.