ENQUANTO “STF” BRITÂNICO RECONHECE DIREITOS DE QUEM DIRIGE UBER, TEM GRÁFICA NO BRASIL AINDA PEJOTIZANDO TRABALHADOR

O principal tribunal do Reino Unido (como se fosse o STF no Brasil) concedeu, por unanimidade, o status de trabalhador a um grupo de motoristas que moveu uma ação contra o Uber em 2016. A decisão significa, por exemplo, que os motoristas até agora considerados autônomos terão direito a férias remuneradas e etc. No maior estado brasileiro, por sua vez, tem empresas gráficas, a exemplo da Helius em Valinhos, que tem trabalhadores cumprindo horário e subordinado às chefias, como todos que tem CPTS assinada, mas vários estão contratados como PJ de forma ilegal, ou seja, sem direitos trabalhistas. A situação demonstra que nada melhora enquanto o trabalhador continuar com medo de buscar mudança. Nestes tipos de gráfica só há mudanças mais efetivas se os gráficos se unificam e combatem as arbitrariedades ilegais junto com o sindicato. O STIG local está aguardando os gráficos da Hélius e de outras empresas para também acionar a Justiça e para tomarmos outras ações”, diz Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos. LEIA MAIS


FONTE: Com informações da Carta Capital e Sindigráficos