FÉRIAS DOS GRÁFICOS DA ROMA CLICHERIA É INFORMADA UM DIA ANTES DO COMEÇO QUANDO A LEI OBRIGA 30 DIAS

A nova lei de Temer e partidos aliados derivada da reforma trabalhista retirou dezenas de direitos. Repartiu até férias dos trabalhadores. E mal passou a valer para que gráficas, como a Roma Clicheria em Valinhos, prejudicasse tal direito. Mas mesmo com a lei, o patrão continua sendo obrigado a informar o período das férias com 30 dias de antecedência. Porém, conforme denúncias para o Sindicato da classe (Sindigráficos), a Roma pensa estar acima da lei, pois só informa um dia antes do início. Os trabalhadores do local precisam se unir e se organizar em defesa de seus direitos. E a melhor forma começa pela sindicalização. Associe-se!

“Notificamos a empresa esta semana para se explicar e corrigir qualquer irregularidade denunciada”, diz Jurandir Franco, diretor do Sindigráficos. A reunião com o dono da Roma já foi realizada nesta terça-feira (31). Na ocasião, o empresário reconheceu que praticava a irregularidade, mas garantiu que não quer permanecer assim, tampouco ter problemas com o sindicato. Garantiu que voltada a informar sobre as férias com 30 dias.

O sindicato aproveita para esclarecer aos trabalhadores e às gráficas da região que a nova lei trabalhista só permite a divisão das férias em até três vezes, sendo um período com 14 dias no mínimo, e os outros com cinco dias no mínimo. E o mais importante: só pode dividir as férias se o empregado aceitar. É isto que está escrito no novo artigo 134 da CLT.

Apesar disso, a legislação continua obrigando os patrões a informar o funcionário sobre o período da concessão das férias com, no mínimo, 30 dias de antecedência. “A Roma passou a informar com apenas um dia desde o começo deste ano, segundo o dono reconheceu. Isso é ilegal e não permitiremos”, realça Leandro Rodrigues, presidente do sindicato. A entidade aproveitou para dizer ao patrão que o deposito da quitação das férias dever ser feito obrigatoriamente com até 48 horas antes do gozo.