FGTS ATRASADOS DOS GRÁFICOS DO DIÁRIO/SP SERÁ PAGO HOJE E SOLUÇÃO À ALIMENTAÇÃO E HORA-EXTRA NA SEXTA

diario1

O Diário de São Paulo, em Jarinu, com quase 100 gráficos, mudou de razão social. A Editora Fontana, do mesmo grupo econômico, é agora o novo responsável pelo jornal. Mas nada muda em relação as obrigações da empresa com seus funcionários, inclusive os passivos trabalhistas. Tanto é que nesta quarta-feira (29) pagará todo o FGTS atrasado desde o final de 2014. O recurso será depositado na conta vinculante do FGTS de cada gráfico e o comprovante de quitação será enviado ao Sindicato da classe (Sindigráficos). A notícia foi confirmada pelos representantes do  grupo empresarial na reunião com o sindicato na última semana. Na ocasião, após cobranças dos sindicalistas, o Diário/SP-Editora Fontana ainda se comprometeu em mostrar levantamentos nesta sexta-feira (01) sobre as queixas de atrasos no pagamento de cestas básicas em meses anteriores e de horas-extras realizadas nos meses de fevereiro e abril.

diario2A mudança para a Editora Fontana foi confirmada pelos representantes do grupo empresarial do Diário/SP durante reunião de mediação com os sindicalistas no Ministério do Trabalho e Emprego na cidade de Atibaia. Disseram ainda que a empresa integra o mesmo grupo. Por esta razão, os gráficos não terão prejuízos quanto aos seus direitos trabalhistas, inclusive pelo tempo de serviço acumulado no Diário. “Os trabalhadores transferidos do Diário para Editora Fontana não precisam se preocupar com isso. Todos os seus direitos continuam garantidos. A Editora/Diário assume todos os créditos trabalhistas, inclusive o FGTS atrasado, como  trata a lei”, explica o advogado do Sindigráficos, Luis Carlos Laurindo, com base nas informações que foram repassadas na referida reunião.

A Editora/Diário confirma inclusive um acordo anterior firmado com o Sindicato de que pagará nesta quarta-feira (29) todo o FGTS atrasado sem parcelamento. Desde o fim de 2014, surgiram as primeiras queixas do não recolhimento do FGTS. Os atrasos continuaram no ano de 2015 e de 2016. O Sindigráficos realizou diversas reuniões com o Diário/SP durante este período, e no início deste ano, ficou acordado o pagamento de todo passivo para esta quarta. “E hoje chegou a data do pagamento”, ressalta Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos. O dinheiro será depositado na conta do FGTS de cada gráfico. A entidade orienta para cada trabalhador consultar o seu saldo de FGTS na Caixa Econômica. A empresa também ficou de apresentar uma Certidão Negativa de Débito.

diario3Cesta Básica e Hora-extra 

Durante a reunião com a Editora/Diário, os sindicalistas questionaram ainda sobre queixas dos gráficos ligadas a problemas no pagamento da cesta básica e da hora-extra dos trabalhadores no local. A empresa não confirmou a existência de pendências neste sentido, mas ficou de fazer levantamentos específicos para cada caso e mostrar ao sindicato nesta sexta. A denúncia da cesta diz respeito ao não pagamento de todas elas nos últimos quatro meses dentro do período correspondente. A empresa reconhece possíveis problemas devido a troca de fornecedor da cesta e assim garantiu fazer e mostrar análise final sobre o caso nesta sexta.

A Editora/Diário também apresentará um relatório sobre a existência ou não de pendências no pagamento da hora-extra de gráficos nos meses de fevereiro e abril. Funcionários denunciaram este caso ao Sindicato. A empresa se comprometeu de fazer uma análise minuciosa no relógio de ponto e ainda nas câmaras de vídeos do local para verificar a questão.

DIARIO4Multas por atraso salarial

Ficou acordado ainda que depois do dia 15 do próximo mês, o Sindicato e a empresa voltam a se reunir para encaminhar a forma de pagamento da cesta básica e da hora-extra, caso se confirme alguma falha, bem como a comprovação final da quitação do passivo de todo o FGTS. Na ocasião, a Editora/Diário também se comprometeu de apresentar o levantamento individualizado (por gráfico) das dívidas equivalentes às multas pertinentes ao atraso no pagamento salarial dos últimos meses.  A multa é de quase R$ 50 por dia de atraso. A regra está descrita na Convenção Coletiva de Trabalho. “Na reunião, trataremos sobre a forma e pagamento das multas”, diz Jurandir Franco, diretor do Sindigráficos.