FIM DE COBRANÇA SOBRE FÉRIAS E FALTAS NA CUNHA FACCHINI. SINDICATO AINDA EVITOU ATRASO MAIOR DA PLR

cunha1

Venceu no último dia 5, o prazo para as gráficas pagarem  a 2ª parcela da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) dos trabalhadores, mas a empresa Cunha Facchini, em Itupeva, não pagou. No local, a maioria dos funcionários são sindicalizados e rapidamente a entidade de classe entrou em ação. Não restou outra saída, senão o pagamento imediato. A empresa efetuou o pagamento no dia 10 e apresentou os comprovantes. O Sindicato ainda evitou que outras práticas irregulares continuassem. A empresa estava descontando horas e até dias das férias dos gráficos em virtude de minutos de atrasos acumulados durante o ano. Também estava descontando do salário das trabalhadoras os dias de ausências permitidas para acompanhar os filhos ao médico. A Convenção Coletiva de Trabalho da classe permite até oito faltas que devem ser abonadas.  

cunha3“A cláusula 54ª da Convenção garante que seja abonada até oito faltas da trabalhadora que acompanha seus filhos de até 12 anos ao médico”, conta Luis Carlos Laurindo, advogado do Sindigráficos. Apesar da regra clara, a Cunha Facchini não aceitava os atestados apresentados e ainda descontava o dia do salário no fim do mês. Jurandir Franco, sindicalista, já conversou com a empresa que se comprometeu em cumprir o direito das funcionária. Esta cláusula ainda garante a ausência remunerada por 10 dias consecutivos em caso de internamento do filho com até 12 anos.

cunha2A empresa também descumpriu a lei de férias dos gráficos, aplicando descontos ilegais de horas e até dias para compensar o referido período respectivo ao tempo total de atraso do funcionário ao serviço acumulado no decorrer do ano. “A Cunha Facchini desconta tais minutos e horas de atraso no referido final do mês do ocorrido, e quando o trabalhador iria entrar de férias, descontava de novo”, diz indignado Leandro Rodrigues, presidente do Sindicato. A empresa reconheceu a falha e se regularizou.

cunha4Outros dois problemas em relação às férias também foram abordados. A Cunha Facchini descumpre a lei sobre o prazo de aviso das férias e no tocante ao prazo para o referido pagamento. A comunicação das férias deve ser feita até 30 dias antes do início e o pagamento 48 horas antes. A empresa estava comunicando até um dia antes do início das férias e sem efetuar o pagamento mesmo após seu início. Ela se comprometeu em se regularizar. Ainda assim, o Sindicato orienta os gráficos a não aceitarem nada diferente do que diz a lei e denunciar o caso à entidade.