GRÁFICOS DA PEDREIRA TERÃO CONTA-SALÁRIO PARA EVITAR PROBLEMAS COM REMUNERAÇÃO E HORA-EXTRA

pedreiras1 pedreiras2

A partir do salário do mês de dezembro, todos funcionários da Gráfica Pedreira, na cidade que leva o mesmo nome da empresa, no Estado de São Paulo, passarão a receber o salário e as horas-extras de trabalho via conta em unidade bancária. A medida foi negociada com o Sindicato dos Trabalhadores da categoria de Jundiaí e Região (Sindigráficos) durante reunião de mediação na Gerência Regional do Trabalho em Campinas, na última semana. A iniciativa visa evitar problemas futuros para comprovar possíveis denúncias dos funcionários sobre o valor do pagamento salarial abaixo do mínimo estabelecido na Convenção da categoria. Recentemente, houve reclamações de salários sendo pagos  no valor de R$ 900 quando o piso é de R$ 1.280,40. O contracheque até que poderia resolver o impasse, mas havia queixas de que o valor era diferente do pago. Com a abertura da conta salário nada disso ocorrerá.

pedreiras3“Os pagamentos via depósito bancário na conta do trabalhador valerá a partir de 5 de janeiro de 2016”, informa Jurandir Franco, diretor do órgão sindical. No entanto, a empresa ratificou que nunca deixou de pagar o valor correto, mas, segundo disse o dono da gráfica na mediação em Campinas, o problema se dava por falta de administração dos próprios funcionários que recebiam partes da remuneração ao longo de todo o mês, e confundiam-se no final do período. Assim, o sindicalista solicitou para a empresa garantir o pagamento apenas nos dias como determina a Convenção (adiantamento de 30% do salário no dia 20 de cada mês e o salário no dia 5 no mês posterior ao trabalhado), bem como também promovesse junto aos empregados e seus familiares uma formação de economia financeira, a título de contribuir na adaptação dos gráficos.

pedreira3Franco conta que a empresa também ficou responsável de fazer outras adequações com base nas reivindicações do Sindigráficos diante de outras denúncias feitas por trabalhadores. Havia reclamações de que faltavam produtos alimentícios na cesta básica e a data de pagamento salarial era feito no 5º dia útil e não no dia 5, como define a Convenção. Quanto ao salário, a Pedreiras adiantou que já fez a adequação e fez o mesmo referente à cesta básica. A gráfica enviará a nota fiscal da cesta ao sindicato para mostrar o anunciado. A empresa também encaminhará os contracheques dos seis últimos meses para provar que está pagando a hora-extra com percentual de 65% e não abaixo disso. Esta era outra denúncia enviada ao Sindigráficos. O sindicalista se disse satisfeito com a disposição da empresa em resolver as reclamações, mas antecipa que acompanhará as questões e continua à disposição dos trabalhadores.