APÓS AÇÃO SINDICAL, EMEPÊ RESTAURA DIÁLOGO E PROMETE PAGAR AS DIFERENÇAS DO PPR E MANTER OUTROS BENEFÍCIOS

Na última segunda-feira (10), poucos dias depois da 1ª assembleia dos gráficos da Emepê em Vinhedo, onde decidiu pela notificação de greve diante do não pagamento total do Programa de Participação nos Resultados (PPR) 2019, o Sindigráficos voltou a reunir os trabalhadores após a reconsideração da empresa. Os profissionais decidiram retirar a notificação diante da volta do diálogo por parte dos gestores da gráfica com o sindicato, garantindo a segurança na continuidade da produção no local, a partir da manutenção de direitos. Em duas reuniões com o sindicato em um pequeno intervalo de tempo, a   Emepê garantiu que fará daqui a quatro meses o pagamento das diferenças dos valores da 2ª parcela da PPR, paga abaixo do valor mínimo definido.

A nova posição da empresa é bem diferente da inicial, onde havia rompido o processo já negociado há vários anos. Sem nenhum diálogo, a Emepê não pagou tal parcela no valor de R$ 725 – menor remuneração definida para quando o plano de metas da PPR não era atingindo. O plano foi acompanhado por uma comissão de empregados da gráfica.  “O diálogo é a solução que sempre defenderemos, mas quando falta isso do outro lado, é necessário radicalizar para a proteção dos trabalhadores. “E o diálogo voltou”, conta Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos.

 

Na primeira reunião com a empresa, no último dia 3, a mesma justificou a medida de pagar um valor menor por conta da perda de fortes clientes. Apesar da comprovação da situação, o plano de PPR, em restruturação pela comissão desde 2019 em função da chegada de novos maquinários, havia predefinido o então pagamento de parcelas mínimas de R$ 725 – valores inclusive já consolidados anos antes, como na PPR 2018. Este valor foi quitado inclusive na primeira parcela referente ao 1º semestre do último ano. Logo, ao não pagar este mesmo valor na segunda parcela relativa ao 2º semestre de 2019, a Emepê estaria descumprindo o acordo.

O impasse foi resolvido na 2ª reunião. A empresa inclusive antecipou em um dia o novo encontro para buscar a solução rápida do problema criado e garantiu o pagamento das diferenças dos valores para o dia 5 de junho. Ainda se comprometeu em retomar com o sindicato as tratativas do novo plano de metas para o PPR 2020, bem como fazer a eleição da nova comissão de trabalhadores que acompanharão o desempenho.

A Emepê também afirmou ao sindicato que não tinha pretensões de mexer em nenhum outro direito pré-existente firmado em acordos com o sindicato. E se comprometeu em não os retirar, a exemplo do Acordo de Jornada de Trabalho que garante um horário de trabalho diferenciado. O acordo garante uma redução de jornada e o dia do gráfico como feriado. Também possui menores descontos salariais em relação à cesta básica, transporte, refeição e o convenio médico e odontológico.

A proposta da empresa foi aprovada pelos gráficos em assembleia na última segunda dia (10), encerrando o clima de tensão frente a uma greve eminente. “Dessa vez conseguimos restabelecer o diálogo. Evitamos o prejuízo para todos os trabalhadores. Diante de mais esta iniciativa em favor de todos, esperamos que todos se associem. Ajudem o sindicato a continuar ajudando a todos. Por sinal, a quantidade de sindicalizados na Emepê está aquém da nossa atuação na empresa em defesa de seus direitos. Sindicalizem-se!”, convoca Leandro.

Os efeitos da ação sindical no local garantiram o pagamento da diferença na 2ª parcela de 2019, mas também a continuidade da PPR em 2020. O plano de metas do 1º semestre deve ser discutido em breve pela nova comissão responsável. Portanto, o Sindigráficos lembra os gráficos para escolherem somente trabalhadores que estejam dispostos a acompanharem com firmeza a definição e monitoramento das metas de modo a garantirem os seus benefícios financeiros correspondentes. O sindicato adianta para a empresa que só assinará o novo acordo de PPR desde que sejam mantidas todas condições já negociadas anteriormente em favor dos funcionários.