GRÁFICA ESDEVA EXPANDE. ABRE 2ª BARRAÇÃO EM CAJAMAR E SINDICATO BUSCA MELHORIA NA JORNADA E NA ALIMENTAÇÃO

Enquanto uma grande parte das gráficas voltam a funcionar normalmente mesmo com a pandemia, outras continuam em processo de crescimento. Uma delas é a gráfica Esdeva. Em pouco tempo, o grupo econômico mineiro já abriu um segundo barracão da unidade filial no município de Cajamar/SP. Nos dois endereços, operam 24 horas (em três turnos) de segunda a sábado, independentemente da reivindicação antiga dos gráficos para ter folga alternada nos sábados. Portanto, nesta quinta-feira (23), essa pauta de reivindicação voltou a ser cobrada pelo Sindicato da classe (Sindigráficos), enviada antes à empresa desde que se instalou em 2018. A reivindicação também aborda sobre alimentação.

Um ofício do sindicato solicitando uma reunião para tratar do assunto já foi enviado para a direção da Esdeva. O Sindigráficos reivindica acordo coletivo de trabalho para revolver esta questão da jornada de trabalho realizada nos dois barracões em Cajamar. Há um pleito antigo pela folga em sábado alternado para a produção. A jornada atual do 1º turno é de 2ª a sábado das 6h às 14h20, o 2º turno é de 2ª a sábado das 13h45 às 22h05, o 3º turno e de domingo a sexta das 22h às 6h. O administrativo tem dois horários de 2ª à sexta: das 8h às 17h48 e das 7h às 16h48. Esta jornada é realizada pelos120 gráficos da filial mais antiga e os 50 da mais nova.

Apesar dessa jornada e da intensa produção dos trabalhadores, a Esdeva não oferece refeição a ninguém, mesmo diante da distância geográfica da unidade em relação aos centros comerciais de Cajamar, prejudicando o acesso e à qualidade da alimentação dos empregados. Oferecem apenas um pequeno dejejum no início de cada turno. Desse modo, a fim de evitar a continuação desse problema, o Sindigráficos pleiteia refeição na fábrica.

Além do fornecimento da refeição dentro das instalações da empresa, há outra reivindicação dos trabalhadores já levada ao Sindigráficos. “Fomos questionados porque a cesta básica dos gráficos em Cajamar tem um menor valor em comparação a cesta concedida na sua unidade em Juiz de Fora/MG”, diz Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos. O sindicalista diz que aguarda a confirmação da reunião para lá checar essa denúncia, bem como reivindicar o reajuste do valor para os 170 trabalhadores paulistas.

Leandro adianta que o reajuste precisa ocorrer de todo jeito, mesmo que a denúncia não se confirme, já que o valor da cesta está defasado até em relação ao preço dos alimentos vendidos nos supermercados de Cajamar. “Fizemos uma pesquisa em vários supermercados, a exemplo do Sonda, Jordanésia e do Soares Mendonça, e o valor pago pela Esdeva está 45% menor – defasagem que pode ser bem maior se confirmar a desigualdade em relação ao valor da cesta pago aos gráficos em MG”, diz o sindicalista.

O Sindicato, por sua vez, lembra aos gráficos da Esdeva em Cajamar que o número de sindicalizados ainda é baixo em comparação ao total de trabalhadores, e isso pode atrapalhar a negociação. “Como estamos tratando de pautas de acréscimo de direitos e não sobre o cumprimento de direitos sonegados, vamos precisar da integração de todos junto com a gente”, alerta Leandro. Juntos somos mais fortes. SINDICALIZEM-SE!