GRÁFICA STELLA FALARÁ COM O SINDICATO SOBRE DIREITO COLETIVO DOS EMPREGADOS QUANDO SÁBADO É FERIADO

No sábado da próxima semana será o feriado da Padroeira do Brasil. Em novembro também terá outro sábado feriado. Será no dia 2 de novembro: Dia de Finados.  No último mês, em 7 de Setembro, também foi em um sábado. E toda vez que o feriado coincide com o sábado, os gráficos que compensam o sábado durante os dias da semana têm um direito especial contido na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). A empresa é obrigada a escolher em largar os empregados mais cedo, ou pagar hora-extra por esse tempo, ou ainda dar um dia de folga antes ou depois de qualquer outro feriado. Como a gráfica Stella, em Caieiras, não fez nada disso, o sindicato a notificou por duas vezes. A empresa respondeu a 2ª notificação. Por telefone, comprometeu em ir ao sindicato para tratar do assunto.

“Já se aproxima o 2º e o 3º feriados do ano que cai no sábado, e a cláusula 51ª da convenção é clara sobre a obrigação da empresa em informar com antecedência qual dos três benefícios garantirá para os profissionais. A Stella não fez isso na semana do 7 de Setembro, mas precisa corrigir sua falha. Também precisa dizer como cumprirá a convenção em relação aos novos feriados em sábados” conta Leandro Rodrigues, presidente do Sindicato dos Gráficos de Cajamar, Jundiaí, Vinhedo e Região.

O dirigente adianta que outras questões serão pontuadas durante a reunião em defesa dos gráficos da Stella, onde a grande maioria é de associados.  O Sindicato cobrará uma explicação do empresário para os aumentos sucessivos do convênio saúde dos trabalhadores. As denúncias apontam que, somente neste ano, já tiveram três reajustes, enquanto o salário dos profissionais só teve um único aumento anual neste mês de setembro.

Outro assunto a ser abordado será sobre as denúncias de pressão e de abuso de autoridade do patrão junto a empregados. “Existem queixas inclusive de assédio contra os trabalhadores em relação à aproximação deles ao sindicato. Revelam que são pressionados para não se sindicalizarem. Só uns poucos ainda não são associados nesta gráfica. Quase todos são sócios”, diz Leandro.