GRÁFICA ZOALDO PAGA PLR, AJUSTA CESTA BÁSICA E ESTUDA ACORDO DE JORNADA COM PRESSÃO SINDICAL

zo1

Depois de denúncias dos gráficos da Zoaldo, em Cajamar, sobre falhas no pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e do vale alimentação, a empresa teve que se reunir com o Sindicato da categoria (Sindigráficos) e apresentar respostas para estes e outros problemas, a exemplo de questões ligadas a saúde e segurança dos empregados. Na ocasião, sindicalistas aproveitaram para cobrar um acordo de jornada de trabalho, a fim de manter benefícios, como intervalos para lanche de 15 minutos na manhã e na tarde, expediente de segunda à sexta e incluir o feriado do Dia do Gráfico (7 de fevereiro). A reclamação dos gráficos e a cobrança dos sindicalistas surtiram efeito positivo em diversas questões. Uma nova reunião com a Zoaldo será realizada até do fim de setembro.

zo2“A empresa contou que concluiu o pagamento da 1ª parcela da PLR de todos os seus trabalhadores no mês de julho, porém, como não mostrou recibos de quitação, confirmamos tal informação com os funcionários”, conta Marcelo Souza, diretor do Sindigráficos, que se reuniu com a dona da Zoaldo no último dia 16. O dirigente pede para que, antes da nova reunião com a empresa na próxima segunda-feira (5), os empregados se mantenham sempre unidos em defesa do seus direitos, sendo mais que necessário que se organizem junto ao sindicato, sindicalizando-se.

zo3Outro ponto resolvido foi o vale-alimentação, que estava bem defasado. O valor médio nas gráficas em Cajamar deve ser minimamente de R$ 122, mas a Zoaldo só estava pagando R$ 60. O valor é calculado com base no somatório dos preços do produtos da cesta básica, definida pela Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da classe, comercializada nos supermercados da cidade onde fica a empresa. Assim, como o vale-alimentação no local estava abaixo da metade do valor mínimo exigido, a empresa apresentou adequações, inclusive retroativa a junho e julho.

Alegando dificuldades financeiras para reajustar o vale-alimentação, a empresa optou por pagar a cesta básica em alimentos especificamente, a qual já foi distribuída neste mês de agosto. O benefício da cesta deve ter a quantidade e qualidade dos itens já determinados pela convenção. Em relação a defasagem do vale-alimentação pago em dinheiro relativo ao mês de junho e julho, a Zoaldo se comprometeu em pagar mais R$ 40 adicionais para cada respectivo período, sendo pagos em setembro e em outubro respectivamente, juntamente com as novas cesta básicas.

zo4Saúde e Segurança

Dentre os vários assuntos sobre o tema, o sindicalista Marcelo Souza fez questão de abordar sobre a distribuição e uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), os problemas profissionais e o sério risco de acidentes por uso de celulares enquanto opera máquinas, bem como a necessidade de treinamento adequado para manipular equipamentos, sob pena de ampliação de ameaças de acidentes, além da redução das potencialidades dos profissionais para galgar a sua respectiva evolução.

“Toda e qualquer atividade que ofereçam margem de riscos acentuadas, é preciso um ensinamento e treinamento técnico”, reforçou o advogado do Sindicato, Luis Carlos Laurindo, orientando o trabalhador que se não tiver qualificação específica, evite colocar a vida e a saúde em risco. Ele lembrou ainda da atenção que os gráficos precisam ter quando usar os EPIs e a utilização de celulares na produção só de forma responsável para não prejudicarem a atividade profissional ou promover acidentes.