GRÁFICAS DARTHY, OCEANO, REDOMA, H ROSA, BERCRON, LOG&PRINT E VÁRIOS OUTRAS PODEM AMPLIAR OS EMPREGOS

Apesar da redução nos últimos anos da produção do mercado editorial dentro do Brasil frente à digitalização de revistas e à impressão do livro didático brasileiro fora do país, o referido setor gráfico nacional continua bastante ativo. Em Jundiaí e região, por exemplo, há grandes empresas que mantêm bastantes profissionais, como em Cajamar que possuem as gráficas Darthy, Oceano, Redoma e HRosa, e a Bercron em Valinhos. A gigante Log&Print, em Vinhedo, tem 500 profissionais. E só não tem mais, como já chegou a ter 800, devido a drástica redução da tiragem de grandes revistas. Mas as gráficas do mercado editorial continuam tendo grande produção diante da demanda da impressão dos livros didáticos. Contudo, tem crescido a impressão desses livros fora do país, retirando os empregos dos gráficos brasileiros. Porém, esta situação pode estar com os dias contados e os postos de trabalho mantidos e ampliados por conta do Projeto de Lei (PL do Livro), elaborado dentro do Sindicato dos gráficos de Jundiaí e região (Sindigráficos) pelo deputado Vicentinho. Só falta a votação na quarta e última Comissão na Câmara dos Deputados.

Nos próximos dias, a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara vai votar, conforme informou Vicentinho para o presidente do Sindigráficos, Leandro Rodrigues. A chance de aprovação é grande diante do parecer favorável da deputada relatora Maria do Rosário, também do PT igual ao deputado Vicentinho, autor do PL do Livro. Este projeto visa justamente fazer com que a impressão dos livros didáticos brasileiros só possam ser impressos dentro das gráficas no Brasil. O governo federal é o maior cliente do mercado editorial gráfico através do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD). Com o PL aprovado, estes livros só poderão ser impressos nas indústrias gráficas brasileiras dentro do território nacional.  Com isso, milhares de empregos serão mantidos e outros ampliados.

O Sindigráficos continua monitorando o trâmite do PL do Livro. E deve ir até a Câmara Federal acompanhar a votação na última Comissão desta casa legislativa. Se aprovada, o processo ocorre em caráter terminativo. Com isso, não precisa da votação no plenário, mas seguirá diretamente para a análise do Senado. “O processo na casa revisora deve ser mais rápido e, conforme a avaliação de Vicentinho, tem grande oportunidade de ser aprovada pela maioria dos atuais senadores”, adianta Rodrigues.

Em caso da previsão sobre a aprovação e da brevidade se confirmar, Rodrigues adianta que os benefícios do PL do Livro já serão sentidos nos próximos meses. Historicamente, o mercado gráfico editorial aquece no 2º semestre por conta dos serviços do Programa Nacional do Livro Didático. Portanto, já agora em 2018, esses livros podem ser impressos somente nas gráficas brasileiras dentro do Brasil, mantendo e gerando milhares de empregos. O Sindicato agradece a atenção de Vicentinho.