GRÁFICAS TÊM DE PAGAR SEXTA-FEIRA A 2ª PARCELA DA PLR A TODOS EMPREGADOS QUE TRABALHARAM NO ANO PASSADO

Nesta sexta-feira (5), todo trabalhador que atuou em 2017 nas indústrias gráficas e que continua empregado no local deve receber da empresa a 2ª parcela de um bônus financeiro anual (PLR) definido pelo Sindicato da categoria (Sindigráficos). Para quem foi demitido antes, já deveria ter recebido nas suas verbas rescisórias. O pagamento não é opcional. Ele continua sendo obrigatório. A entidade sindical tem garantido este direito convencionado há cerca de 20 anos, após consolidá-lo em cada ano nas campanhas salariais no respectivo período. O valor do benefício varia de acordo com a quantidade de funcionários da gráfica no ano anterior ao pagamento. É uma compensação financeira pela dedicação do gráfico.

Desde 2016, por exemplo, o menor valor da parcela em uma gráfica com menor quantidade de gráficos não pode ser inferior a R$ 302,86, enquanto que o maior montante da parcela é de R$ 445,40 – pago nas empresas a partir de 100 trabalhadores. Existem ainda outras faixas intermediárias (R$ 329,60 e R$ 383,03). A primeira parcela da PLR, com o mesmo valor deve ser paga sempre até 5 de abril. Já a segunda, o prazo final é no dia 5 de outubro, nesta sexta. Somente duas gráficas na região não têm esta obrigação de pagamento da PLR (CCL e Emepê). Em ambas têm um programa específico para a compensação financeira (PPR) dos seus trabalhadores. Na Emepê, por exemplo, onde o PPR foi negociado através do Sindigráficos, o menor valor é ainda bem superior ao da PLR, mesmo se as metas não foram atingidas no decorrer do ano.

“Quem foi/for demitido antes desta sexta-feira e trabalhou em 2017 deve receber também a PLR. O benefício deveria ser inclusive no pagamento das verbas rescisórias após rescisão contratual”, diz Leandro Rodrigues, presidente do Sindicato. Denuncie ao Sindigráficos se isso não ocorreu. A entidade checará e vai cobrar o pagamento da empresa. Caso esteja empregado na gráfica que trabalhou no ano passado, o pagamento da 2ª parcela da PLR é nesta sexta. Denuncie também se isso não ocorrer.

Já a continuidade do bônus financeiro no próximo ano, está ameaçada. Nos últimos dois anos, o valor do benefício ficou congelado por pressão patronal, que tentou a extinção da PLR. Só não ocorreu porque houve grande reação do movimento sindical e de parte da categoria. Este ano, porém, com a nova lei da reforma trabalhista de Temer, patrões estão tão mais dispostos a arrancar os direitos convencionados da classe.

“Não só a PLR, mas avalio que a cesta básica e o piso salarial dos gráficos (que é bem maior que o salário mínimo nacional) estão na mira do patronal”, diz Jurandir Franco, diretor do Sindigráficos. O dirigente convoca a classe para se manter unida e organizada para lutar em defesa dos seus históricos direitos, a exemplo da importante PLR, que é um incrementado de renda do trabalhador, assim como o 13º salário anual, o qual pode deixar de existir se Bolsonaro vencer as eleições, já que ontem o seu candidato a vice-presidente voltou a atacar o 13º. Vote certo no domingo. Impeça esse mal. Não deixe que venha a crescer. O Sindicato aproveita e convoca a todos gráficos para se sindicalizarem e fortalecerem a luta organizada da classe trabalhador pelos seus direitos.