GRÁFICO DA CASA PUBLICADORA GANHA MAIS R$ 1.8 MIL APÓS LEVAR PARA O SINDICATO SUA RESCISÃO CONTRATUAL PARA REVISÃO

O ano começou há poucas semanas, mas o Sindicato não parou de atuar em defesa dos gráficos da Cajamar, Jundiaí, Vinhedo e toda região. Um trabalhador da Casa Publicadora, em Várzea Paulista, por exemplo, teve uma boa notícia financeira após procurar a entidade logo depois que saiu da empresa e levou para sindicalistas a rescisão contratual para revisão. Na conferência, apesar da constatação de que a gráfica havia pago todas as verbas rescisórias, FGTS, PLR e os demais direitos desde a assinatura da carteira de trabalho do profissional, faltava ainda valores equivalentes a quatro meses em que o empregado atuou sem o seu devido registro.

Pelo período, a empresa precisa pagar mais R$ 2.799 para o trabalhador. Em tratativa direta com o gráfico, antes da intervenção sindical, a gráfica havia se comprometido em pagar apenas R$ 963, o qual foi inclusive feito junto com os demais direitos contidos nas verbas rescisórias. No entanto, o valor era menos da metade. Desse modo, mediante ação e identificação do déficit por parte do Sindigráficos, que acionou a empresa, cuja atendeu a questão, a diferença foi depositada na conta do gráfico há poucos dias.

“Pelos nossos cálculos, o trabalhador tinha de receber um pouco mais de R$ 1,8 mil de diferença. A Casa Publicadora confirmou e pagou R$ 1.846 e mais os R$ 963 pelos quatro meses em que o profissional atuou no local antes do registro na carteira”, revela Jurandir Franco, diretor do Sindicato. Além desse montante, o trabalhador recebeu previamente da empresa os valores corretos do período em que atuou no local desde o ano de 2018.

O trabalhador, apesar da perda do emprego, saiu bastante satisfeito com a recuperação de um valor de quase R$ 2 mil, por meio da ação sindical. Se o gráfico não tivesse procurado o Sindicato, dificilmente a diferença do valor seria identificado e pago. “Eis a importância do gráfico se filiar à sua entidade da categoria. O Sindigráficos existe justamente para proteger os direitos da classe e os interesses dos trabalhadores. Sindicalize-se AQUI!

Jurandir aproveita para orientar todos os gráficos que se por algum motivo a sua empresa não fizer a rescisão contratual no Sindigráficos, leve logo o documento para revisão da entidade. “Faça como o profissional da Casa Publicadora. Não fique com dúvidas. Sindicalize-se enquanto é tempo. E faça valer todo o seu direito. Juntos, somos sempre mais fortes”, convoca.