GRÁFICO FICA DOENTE POR CONTA DO TRABALHO E É DEMITIDO PELA GUTEPLAN DOIS MESES APÓS RETORNO DO BENEFÍCIO

Com sérios problemas na coluna por conta do trabalho e ainda precisando do convênio médico da empresa para se cuidar, um gráfico acaba de ser demitido pela Guteplan, em Valinhos. O desligamento ocorreu dois meses após o INSS autorizar seu retorno ao serviço. Ele se encontrava inclusive em reabilitação profissional desde que voltou. Sem condições de atuar no setor de logística, área em que contraiu a doença ocupacional, passou a laborar como revisor de qualidade. E, agora, foi sumariamente demitido. Desesperado, e sem saber o que fazer, o profissional procurou o sindicato da categoria (Sindigráficos), entidade na qual nunca quis se sindicalizar, como a maioria dos funcionários dessa empresa, que, infelizmente, pensa que o sindicato não serve para nada ou nunca precisará. Abandonado e sozinho, o gráfico percebeu o erro cometido e foi atrás do órgão da classe. No local, foi acolhido e uma possível solução logo apareceu em seu favor. 

“Já acionamos a empresa para que desfaça a sua demissão e o reintegre imediatamente. O pleito tem o amparo em uma lei que protege o emprego quando volta do auxílio-doença ocupacional (código 91)”, conta Jurandir, diretor do Sindigráficos. Quando a enfermidade é por conta do trabalho, como demonstrado pelo próprio INSS, existe a estabilidade de um ano após a volta do benefício; e de dois meses quando a doença não tem ligações com o serviço. Logo, a Guteplan não poderia demitir o gráfico após dois meses de seu retorno.

Além da reintegração imediata, o Sindicato também notificou a empresa para recolher todo o FGTS do profissional no período em que ele esteve afastado pelo INSS (de setembro de 2016 até parte de outubro de 2018). O Sindigráficos descobriu a situação após fazer uma análise especifica. “Há pendências de diversos meses. Precisam ser quitados”, frisa Jurandir.

“Nas horas mais difíceis, como nesta vivida pelo gráfico da Guteplan, todo trabalhador percebe que só resta, por enquanto, o sindicato da categoria para buscar resolver os problemas criados pela empresa em que labora”, realça Jurandir. A entidade espera contar com uma rápida compreensão dos trabalhadores sobre a necessidade deles também fortalecerem o seu sindicato com objetivo do órgão continuar forte e ativo em prol da classe.