GRÁFICOS DA BARLETTA E DA ABR TERÃO TRÊS DIAS DE FOLGA REMUNERADAS DIANTE DA FORÇA DA CONVENÇÃO DA CLASSE

Embora amanhã seja feriado, os gráficos da Barletta e da ABR, do mesmo grupo econômico em Bragança Paulista, estão compensando a jornada semanal como se sábado não fosse feriado. O mesmo aconteceu durante a semana do feriado no sábado em sete de setembro. E vai se repetir na semana do feriado no sábado de finados em 2 de novembro. Quando isso acontece, a empresa tem de pagar pelo tempo respectivo da hora-extra do serviço adicional, ou conceder uma folga remunerada. A regra consta na Convenção Coletiva de Trabalho da categoria. Assim, o Sindicato dos Trabalhadores (Sindigráficos) cobraram o cumprimento do dever patronal.  

“Notificamos a empresa no último dia 17 para responder se daria a folga aos trabalhadores, ou pagaria em hora-extra pela manutenção da jornada sem a redução do tempo durante os dias da semana que antecederam o feriado de sete de setembro. Aproveitamos e consultamos como seria nas semanas do feriado da Padroeira do Brasil (12 de outubro) e de Finados (2 de novembro), ambos feriados em dia de sábado”, diz Jurandir Franco, diretor do Sindicato dos Gráficos de Cajamar, Jundiaí, Vinhedo e Região.

A Barletta e ABR, onde a maioria dos gráficos são de sindicalizados, logo respondeu a demanda. Três dias após a notificação, garantiu que folgas remuneradas serão garantidas por cada semana em que os trabalhadores mantiveram a jornada semanal normalmente, sem a redução do tempo. O grupo econômico decidiu que serão três folgas em dias seguidos. Pelo anunciado, o benefício será concedido no final do ano ou início de 2020.

Os trabalhadores terão três dias adicionais sobre as suas férias. As férias são coletivas no local. A empesa suspende as atividades e todos param. Desse modo, por força da Convenção Coletiva de Trabalho e da atuação sindical para que ela seja cumprida, os gráficos da Barletta e da ABR terão suas férias coletivas ampliadas em três dias. A empresa ainda informará se gozarão os dias adicionais no início ou no término das férias coletivas.

“Nosso trabalho sindical não se limita à importante luta pela conquista de uma convenção com direitos superiores à CLT, a exemplo da cesta básica mensal, PLR anual, faixas salariais e os índices de hora-extra e adicional noturno superiores à CLT, mas também na fiscalização cotidiana e firme para que as 84 cláusulas da convenção sejam cumpridas, como no caso do sábado feriado”, fala Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos.