GRÁFICOS DA INAPEL APROVAM ACORDOS DO SINDICATO COM EMPRESA ONDE ELEVA A RECEITA MENSAL DOS TRABALHADORES

Os termos de mais dois Acordos Coletivos de Trabalho na gráfica Inapel (em Jundiaí) foram definidos entre os proprietários e o Sindicato da classe (Sindigráficos). Além do acordo de jornada semanal somente de segunda à quinta-feira e outros benefícios, a entidade sindical avança em acordos para ampliação da renda dos trabalhadores. A primeira garante um piso salarial maior que nas demais gráficas da região. O reajuste foi de 2,60%. Ainda evita banco de horas e garante a homologação sindical da rescisão contratual. O segundo acordo garante uma PLR quase R$ 400 maior que nas demais gráficas do seu porte. Além da complementação de renda mensal, que pode chegar a R$ 200 extra, a depender das metas atingidas. Os trabalhadores aprovaram as medidas através de votação secreta e individual na segunda-feira (14).  

Por sinal a votação secreta e individual é um outro direito garantido na empresa. Os gráficos são quem decidem também sobre a troca (ou não) do trabalho em dias de feriado, por exemplo. O reajuste do valor da cesta básica mensal de R$ 95 para R$ 100 também é outro avanço financeiro no acordo renovado de reajuste salarial. Tem ainda a inclusão de uma multa no valor de 10% do salário normativo por inflação e por trabalhador. Ou seja, aplicação de uma multa na Inapel se descumprir alguma cláusula do acordo e as 85 cláusulas da convenção coletiva de trabalho, ora resguardadas dentro do referido acordo coletivo.

O segundo acordo financeiro positivo para o trabalhador garante uma PLR anual de R$ 1,2 mil, superior ao valor definido pela convenção da classe no valor de R$ 804,36. Pelos termos acertados, paga-se R$ 600 no final de fevereiro e mais R$ 600 no final de agosto. “Se fosse pela convenção coletiva da categoria, as parcelas seriam no valor de R$ 402,18, ou seja, quase R$ 200 a menos cada”, fala Leandro Rodrigues, presidente do Sindicato dos Gráficos de Cajamar, Jundiaí, Vinhedo e Região (Sindigráficos).

Além disso, foi incluída uma nova cláusula no acordo da PLR onde criará programa de incentivo com benefícios financeiros mensais para o gráfico. “É uma espécie de premiação para os trabalhadores se atingirem metas para algumas questões”, informa Leandro. Os indicadores que nortearão a premiação tratam da redução do tempo de máquina parada, redução do índice de devolução de produtos dos clientes versus o faturamento, a redução da quantidade de aparas, e zero acidente laboral e afastamento do trabalho por doença. A combinação desses indicadores pode ampliar a renda do trabalhador em até R$ 200 por mês.