GRÁFICOS DA JANDAIA RECLAMAM DE ACÚMULO DE LIXO, ASSÉDIO, RISCO À SAÚDE E PLEITEIAM JORNADA DE TRABALHO EM SÁBADOS ALTERNADOS

Diversas denúncias de gráficos ao Sindicato da categoria (Sindigráficos) revelam uma gama de problemas na Jandaia, em Caieiras. A relação de reclamações é grande. Existem problemas antigos, ainda sem solução, como a jornada de trabalho em todos os sábados e se há insalubridade na produção. E já há novos casos, como o mal gerado pelo acúmulo do lixo perto da cozinha, queixas de abusos e ofensas e por quem deveria ser responsável pela segurança dos trabalhares no local. Ainda tem a queixa da nova e excludente norma interna que, na prática, proíbe só os gráficos da produção de comerem algo após os horários definidos, seja uma bolacha ou uma bala, enquanto é flexível para alguns setores, mesmo a regra se dizendo para todos, aplicando só ao chão de fábrica.

“A empresa será notificada para explicar sobre os novos, mas também relativos aos velhos impasses que continuam. Vamos lá até a próxima segunda-feira (30)”, diz Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos, esperando que a Jandaia logo sinalize uma data para tratar dos casos.  Ele criticará não pelo fato de frutas e outras comidas continuarem sendo consumidas durante o expediente por certos profissionais, conforme diz as queixas dos gráficos, mas questionará pela nova regra proibir só os do chão de fábrica, podendo indicar exclusão só com tais empregados.

O sindicato espera que esta situação de injustiça seja sanada. E ainda o grande volume de lixo, que passou a ficar acumulado numa área entre a cozinha e o setor de aparas – ambiente usado até para o descanso de gráficos -, e que tem causado um forte odor no local.

“Outro caso que a Jandaia precisa apurar e resolver após a verificação das denúncias dos gráficos são as queixas de abusos e ofensas, que podem ser caracterizadas como assédio moral, praticadas pelo chefe de Segurança do Trabalho da empresa”, conta Osvaldo Santesso, que é gráfico da Jandaia e diretor sindical, repassando que palavras de baixo calão são inclusive direcionadas aos trabalhadores, entre outras coisas.

O sindicato ainda voltará a tratar de casos antigos. Um exemplo é sobre a possível insalubridade após a empresa mostrar os estudos que ficou de fazer sobre agentes químicos usados no local. Isso será cobrado e a entidade de classe não descarta de fazer seu próprio laudo se preciso. O outro assunto é que, desde quando o revezamento de turnos acabou, os gráficos do 1º e 3º laboram todo sábado e domingo respectivamente. E os do 2º turno só têm uma folga em um sábado a cada mês por conta de um acordo coletivo de trabalho vigente. O sindicato voltará a tratar da então urgência da jornada nos sábados (1º e 2º turnos) e nos domingos (3º) ocorrerem alternadamente. Trabalha-se em um, e folga-se no outro.