GRÁFICOS DE EMPRESAS DISTINTAS RECEBEM PLR DEPOIS DE DENUNCIAREM AO SINDICATO AS PENDÊNCIAS NO PAGAMENTO

Cerca de 100 trabalhadores de gráficas em Bragança Paulista, Jundiaí e Itupeva não receberam a 2ª parte da Participação do Lucro e Resultados (PLR) no prazo posto pela Convenção Coletiva de Trabalho da categoria (CCT). As queixas de funcionários da Gazeta Bragantina e das gráficas Visão e Cunha Facchini revelaram ao Sindicato da classe (Sindigráficos) que não receberam tais valores correspondentes até o dia 5 de outubro. As empresas foram notificadas e alertadas para os problemas diante da sonegação de um dos direitos convencionados dos empregados. Assim, a maioria delas decidiu pagar toda a pendência nestas últimas semanas. Qualquer gráfico pode denunciar ao Sindicato as irregularidades na PLR ou outras falhas nas empresas que trabalham. O sigilo é certo. Denuncie através do fone 11 4492-9020 ou pelo e-mail contato@sindigráficos.org.

Em relação a PLR para 2018, ela não está garantida para nenhum dos 6,5 mil gráficos da área de ação do Sindigráficos. A entidade patronal, responsável pelas empresas na região e na maioria do estado, dirá hoje, durante a 1ª mesa de negociação da campanha salarial, se garantirá ou não, bem como os demais 86 direitos da CCT. “A data-base da classe é inclusive na próxima quarta-feira (1º). Assim, toda a CCT corre risco se o patronal não garantir a data-base e a manutenção dos direitos da CCT”, fala Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos, que participará da reunião com os dirigentes dos demais sindicatos dos gráficos do estado. Os trabalhadores precisarão dizer no decorre da atual campanha salarial se aceitarão perder os seus direitos ou se lutarão para assim mantê-los.

Já a PLR de 2017 não paga pelas empresas adequadamente, como foi denunciado ao Sindicato pelos trabalhadores, a situação já foi resolvida pela Gazeta Bragantina e na Gráfica Visão, após cobranças seguidas. O pagamento da Gazeta foi confirmado via e-mail pela dona Ana Albert no último dia 13 – oito dias depois do prazo máximo permitido. “Na Visão, um dos seus funcionários ligou para o sindicato confirmando que foi feito o pagamento da 2ª parcela da PLR”, diz Jurandir Franco, diretor sindical.

A Cunha Facchini, por sua vez, apesar de garantir o pagamento e ter até efetuado parte dele, ainda não confirmou para o Sindigráficos se pagou todo o valor correspondente a 2ª parcela da PLR dos seus empregados. Há queixas de que só foi pago a metade do valor da parcela. A empresa ficou de garantir o pagamento na íntegra até a última sexta-feira (27). “O sindicato aguarda resposta para não acioná-la nos órgãos competentes ou até parar a sua produção se os funcionários quiserem”, diz Rodrigues.