GRÁFICOS DENUNCIAM EMPRESA AO SINDICATO POR RETIRAR ALIMENTAÇÃO BÁSICA LOGO DEPOIS QUE INICIOU A PANDEMIA

Em cerca de cinco meses, o Brasil já está perto de ter 100 mil mortes pela covid-19 por falta de medidas governamentais para reduzir a mortalidade e o contágio do vírus. E o governo ainda flexibilizou leis trabalhistas em prejuízo da renda e direitos do empregado. Sob a desculpa da pandemia, muitas empresas fizeram o mesmo. Suspenderam até direitos protegidos. Patrões têm retirado ilegalmente até a alimentação. Em Cajamar, Jundiaí, Vinhedo e região, por exemplo, o Sindigráficos tem atuado sem parar para coibir irregularidades. Queixas recentes à entidade revelam que a gráfica Hélius, em Valinhos, deixou de distribuir a cesta básica há quatro meses.

“Isso nunca havia acontecido antes nesta empresa, já que a cesta básica mensal é um direito garantido do gráfico devido à Convenção Coletiva de Trabalho da categoria. Porém, sob o pretexto da covid e como o número de gráficos sindicalizados é baixo no local, chegam queixas agora de que os produtos alimentícios deixaram de ser distribuídos semanas depois do começo da pandemia”, informa Jurandir Franco, diretor do Sindigráficos.

Pela experiência que possui, o sindicalista conta que empresa com baixo número de trabalhadores associados costuma ter mais problemas, ainda mais agora no cenário pandêmico. A fim de tentar inverter esta situação, o Sindicato decidiu que, nos próximos dias, tentará conversar com todos gráficos da Hélius uma outra vez. Falará da urgência da sindicalização de todos. “Vamos explicar que o trabalhador precisa fortalecer seu sindicato para que a entidade tenha as condições de fazer a luta em defesa dos direitos da classe, neste caso, proteger a questão da cesta”, diz Jurandir.

Por sinal, o dirigente conta que a Helius inclusive oficializou ao sindicato que realizou a redução de jornada/salário durante a pandemia. A medida foi autorizada pelo governo Bolsonaro. Contudo, a medida coloca regras que a empresa deve cumprir no período da redução. Dentre elas, toda gráfica, mesmo quando reduz a jornada e o salário, continua obrigada a dar a cesta. Portanto, de todo jeito, suspensão da cesta básica é ilegal. O sindicato aguarda a sindicalização dos gráficos para apurar a questão.