GRÁFICOS DO DIÁRIO/SP CONQUISTAM DIREITO DE SEGUIR A VIDA PROFISSIONAL E COM FGTS E SEGURO-DESEMPREGO

Dezesseis gráficos sindicalizados do Diário/SP, em Jarinu, acabam de ganhar na Justiça o direito de seguir suas vidas profissionais através do exitoso processo do advogado do Sindigráficos, Luiz Carlos Laurindo. Eles estavam abandonados pelo patrão e impedidos até de procurarem novo emprego para se alimentar e as suas famílias, frente os imbróglios e manobras jurídico/judiciais dos grupos empresariais responsáveis pelo jornal. A empresa parou a produção há meses sem desligar nenhum dos 50 gráficos e sem cumprir uma só obrigação trabalhista, aproveitando-se do complicado processo falimentar parcial dos então grupos envolvidos.

Sem salário, direitos ou baixa nas carteiras de trabalho, 16 gráficos que optaram em confiar no jurídico do sindicato, acabam de ter garantido na Justiça a baixa nas sua carteiras e seguirem a vida profissional. E ainda os alvarás para sacarem o FGTS depositado e para darem entrada no Seguro-Desemprego.

A sentença foi dada pela juíza Rosilene Aparecida Taveira, da Vara do Trabalho de Campo Limpo. A decisão foi dada no último dia 2, mesma data em que a ação foi protocolado pelo sindicato.

“A resposta imediata se deu diante da gravidade do problema contra os gráficos, abandonados e impedidos de laborarem no jornal e arrumarem outro emprego enquanto não fosse dada a baixa na carteira deles”, julga Laurindo, satisfeito com o desfecho do processo que garantiu a rescisão contratual indireta de todos os 16 envolvidos.

Só não foi de todos os 50 gráficos do Diário porque os demais preferiram advogados particulares ou ainda nem acionaram a Justiça. O Sindicato continua à disposição de todos. A sentença da ação inclusive pode ser usada pelos advogados.

A baixa nas carteiras dos 16 gráficos foi dada pela Justiça na quarta da semana passada. Os profissionais a receberam na sede regional do Sindigráficos em Jundiaí na última sexta-feira (11).

A alegria contagiou a todos. Eles também receberam os alvarás judiciais para sacar o FGTS e dar entrada no direito do Seguro-Desemprego. Foram todos entregues pelos sindicalistas Jurandir Franco e Valdir Ramos, acompanhados do também experiente advogado do Sindigráficos, Paulo Afonso Oliveira.

Além dessas duas conquistas no âmbito judicial, o processo continuará em andamento relativo a questão do pagamento das verbas rescisórias. Laurindo acredita também no sucesso deste quesito, como ocorreu em outra ação em defesa de oito gráficos do Diário demitidos antes, onde a sentença garantiu alvarás judiciais sobre o FGTS e Seguro-Desemprego e depois uma decisão favorável no pagamento das verbas rescisórias.

“Quando o Sindicato entra com qualquer processo, sempre busca tudo o que o gráfico tem direito, nem mais, nem menos, oportunizando o êxito das nossas ações, mesmo nas rescisões contratuais indiretas coletivas, como acaba de ocorrer”, fala satisfeito Laurindo.

Em ambas as ações, o Departamento Jurídico do Sindigráficos só pode garantir na Justiça tais direitos da categoria através dos processos coletivos, representando a todos, porque todos eles eram sindicalizados. São as filiações ao órgão da classe que mantêm o órgão em funcionamento. Sindicalize-se AQUI