GRÁFICOS ENTRAM EM ESTADO DE GREVE E PODEM PARAR A PARTIR DO DIA 7 SE PATRONAL INSISTIR NO FIM DOS DIREITOS

A partir de hoje vence a validade dos 87 direitos coletivos dos gráficos da maioria do estado, como nas empresas de Cajamar, Jundiaí, Vinhedo e região, porque o patronal decidiu romper uma tradição de garantir a data-base da categoria (1º de novembro), que já durava décadas. Sem isso, nenhum dos direitos convencionados tem validade. Se a categoria não reagir, o cenário pode ser consolidado já na próxima terça-feira (7) durante uma rodada de negociação especial para tratar desta questão. Por isso, desde segunda-feira (30/10), quando ocorreu o ataque patronal na 1ª tratativa, o Sindicato dos gráficos da região (Sindigráficos) iniciou  assembleias dos trabalhadores em empresas da região e intensificará até a nova rodada com objetivo de preparar a classe para paralisações se o patronal tentar consolidar o fim da data-base nesta quarta-feira (1º).

“Já estou com a notificação de greve preparada para entregar na terça se o patronal insistir neste ataque sem sentido, aliás, aproveitando-se da reforma trabalhista para pressionar a classe para perder sua tradicional data-base, perdendo assim a garantia das 87 cláusulas da convenção”, diz Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos.

O dirigente, que teve um papel crucial para garantir durante a 1ª rodada de negociação uma nova mesa a fim de tratar da data-base, garante que paralisações começarão na terça-feira se o patronal insistir neste ataque significativo.

O Sindigráficos começou a semana com assembleia na Jandaia. Ontem mobilizou os empregados da Betters, bem como promoveu assembleias na frente da Log&Print e CCL Label. Hoje está na frente da Gonçalves.

“Vamos continuar mobilizando os gráficos durante esta semana, mesmo com o feriado. As assembleias continuarão até a terça. E, a partir daí, iniciaremos as paralisações pela garantia de todos os direitos coletivos da classe se o sindicato patronal insistir em desvalidá-los outra vez”, diz Jurandir Franco, diretor sindical que liderou várias assembleias no local.

O Sindigráficos não está sozinho nesta luta. Mais sindicatos dos gráficos no estado já iniciaram a realização das assembleias nas empresas das de outras regiões, a exemplo de Guarulhos na Editora FTD.

Os gráficos da Tilibra, localizada em Bauru, estão participando de uma assembleia nesta quarta-feira (1º) pela manutenção da data-base e a continuidade da validade de todos os direitos.

Hoje também está sendo realizada uma mobilização na frente da gráfica Gonçalves, em Cajamar. “A reação dos trabalhadores só está começando. “Espero que não seja preciso acirrar a luta de classe neste período que as gráficas mais precisam produzir. Uma greve não seria nada bom para os lucros e prazos”, fala Rodrigues. Ele aproveita e convoca a classe para se associar. Sindicalize-se AQUI!