GRÁFICOS RESGATAM CESTAS BÁSICAS ATRASADAS EM DINHEIRO E AINDA GARANTEM PLR, FGTS E COÍBE ASSÉDIO

1

Os trabalhadores da gráfica Horizonte, em Jundiaí, não receberam cesta básica nos meses de setembro e de outubro. O benefício voltou a ser distribuído este mês, mas as duas cestas anteriores ficaram pendentes. O fato foi denunciado ao Sindicato da classe (Sindigráficos) que acionou a empresa através do Ministério do Trabalho e Emprego. Diante de um auditor fiscal, esta semana, a sócia da empresa aceitou pagar as cestas atrasadas em dinheiro e com valor maior que costuma comprá-la, como exigiu o Sindicato. Cada funcionário receberá R$ 120 por cesta e não R$ 90 – que é o valor quando comprado no atacado pela gráfica. O pagamento de R$ 318 com a 2ª parcela da PLR atrasada foi incluído na cobrança, ficando responsável de pagar junto com as cestas. A dívida com o FGTS também foi tratada e definida a solução. A Horizonte pediu o parcelamento do pagamento junto à Caixa Econômica. Também se comprometeu a fiscalizar e coibir episódios relatados de assédio moral.

h2“Não há direito pendente que não lutamos por ele”, comemora Jurandir Franco, diretor do Sindigráficos, que atuou firme neste caso das cestas, PLR e FGTS atrasados, além da terrível problemática do assédio moral. Pelas cestas básicas e o PLR, cada gráfica ira receber R$ 279 em duas parcelas. Uma reunião será feita com os trabalhadores sobre a questão, a fim de evitar qualquer sonegação. As denúncias dos trabalhadores foram indispensáveis para o encaminhamento positivo. O sindicato só entrou em ação porque soube do que ocorria na Horizonte. As queixas podem ser realizadas direto na sede do Sindigráficos, ou pelos fones (11-4492-9020/4521-2163), ou pelo e-mail (contato@sindigraficos.org).

h22Em relação ao FGTS, a Horizonte anunciou que já pediu o parcelamento do débito na Caixa e aguarda apenas a confirmação por parte do banco. O documento será apresentado na sequência ao sindicato da categoria. “Todo trabalhador de qualquer gráfica deve acompanhar junto à Caixa se seu FGTS está sendo depositado todo mês, se não estiver, deve  denunciar, porque há um prazo para fazê-lo, sob risco real de perdê-lo”, alerta para a gravidade, Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos.  

O Sindicato também reagiu contra as práticas de assédio moral sobre gráficos por parte de um gestor da Horizonte que foram denunciadas. A empresa se comprometeu em corrigir a questão. Pelo aprovado durante a mediação, a empresa também aceitou sofrer penalidades pertinentes se não coibir efetivamente o abuso. “Não vamos tolerar que isso ocorra. Ninguém deve ser tratado aos gritos, nem mesmo animais”, diz Franco.