GRÁFICOS RESPONDEM GOLPE A DIREITOS COM ASSEMBLEIAS E ENTRAM EM ESTADO DE GREVE ANTES DA NEGOCIAÇÃO AMANHÃ

Uma rodada de negociação extra será realizada amanhã entre patrões e trabalhadores gráficos paulistas na tentativa de evitar o fim das tratativas e o início do acirramento da luta entre classes através de paralisações e até greve. O clima ‘azedou’ na última semana após o sindicato patronal ter rompido uma tradição de garantir a data-base da categoria enquanto dura a campanha salarial. Sem tal manutenção, os 87 direitos coletivos da classe perdem a validade. A reação obreira logo ocorreu. Em menos de 24 horas, mesmo sendo uma semana atípica com feriado, explodiram assembleias de funcionários organizadas por sindicatos. Elas ocorreram em gráficas de várias regiões do estado na última quarta-feira (1º) – dia que representa a data-base da classe. Uma dessas assembleias reuniu 98% dos 450 dos gráficos da Gonçalves, situada na cidade de Cajamar.

O Sindicato dos Trabalhadores Gráficos de Cajamar, Jundiaí, Vinhedo e região (Sindigráficos) preparar mais assembleias para hoje com gráficos de outras empresas da sua área de atuação. Outras assembleias foram realizadas na última semana, por exemplo, nas regiões de abrangência dos gráficos de Barueri/Osasco, Taubaté, Bauru, além de outras antes na área de Guarulhos.

“Já não basta o retrocesso contra nossos direitos através da reforma trabalhista que passa a valer a partir deste sábado (11). E, deslealmente, o patronal que acabar até com nossa data-base para fragilizar ainda mais os nossos direitos e salários”, disse revoltado Jurandir Franco, diretor do Sindigráficos, durante assembleia com quase a totalidade dos trabalhadores dos dois turnos da empresa Gonçalvez.

“Os gráficos da Gonçalves e das demais empresas onde as assembleias aconteceram se mostraram preocupados e revoltados com esse ataque patronal. Desse modo, a classe entrou em Estado de Greve em defesa da data-base e de todos direitos coletivos”, revela Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos.

O dirigente já está até com a notificação de greve pronta. Pode ser entregue ao patronal se eles insistirem amanhã, durante a rodada extra, neste ataque de remover a data-base da classe. O sindicalista já repassou o texto da notificação inclusive para os demais sindicatos obreiros de outras regiões que participarão desta negociação.

As empresas gráficas voltaram a produzir e precisam de normalidade. “Espero que tal tranquilidade não seja alterada por conta do oportunismo do sindicato patronal, alinhados a atrasados setores políticos-patronais, que a todo custo pressionam os trabalhadores para retirar direitos”, fala Rodrigues, dizendo que a história dos gráficos já mostra qual a resposta.