GRÁFICOS TRABALHARÃO 20 ANOS A MAIS SE A REFORMA PREVIDENCIÁRIA DO TEMER AVANÇAR NO CONGRESSO

apo

Nesta terça-feira (6), os termos da reforma previdenciária do presidente Michel Temer foram anunciados. Os efeitos dela serão bastante noviços ao trabalhador, em especial aos gráficos e demais profissionais que têm direitos à aposentadoria especial. Ao invés de 25 anos de contribuição ao INSS para poder se aposentar sem perdas financeiras, independente da idade que estiver na ocasião, o gráfico agora terá de laborar e de contribuir 19 anos a mais, totalizando assim 44 anos de contribuição. Este período total é maior até que a regra atual da aposentadoria por tempo de serviço, que define 35 anos de contribuição previdenciária. Apesar de trabalhar em condições prejudiciais à saúde, o gráfico terá agora de laborar quase duas décadas a mais devido o desejo do Temer. Para entender o efeito prático desta reforma sobre o gráfico, aquele, por exemplo, que começou a trabalhar com 20 anos tem direito atualmente a se aposentar sem as perdas financeiras com 45 anos de idade, desde que comprove as devidas exposições aos agentes insalubre. Aposenta-se com 45 anos porque ao somar 20 anos de idade com mais 25 anos de contribuição ao INSS o resultado é de 45 anos de idade. A reforma previdenciária mudará a regra. O gráfico só se aposentará sem perdas com 64 anos de idade (20 anos de idade + 44 anos de contribuição = 64). Esse aumento é uma grande injusta. E é ainda maior para aqueles trabalhadores gráficos que começaram a laborar antes mesmo dos 20 anos de idade, o que é bastante comum dentro do segmento gráfico. 

“Ou você, gráfico, reage agora, pois ainda há tempo, já que a reforma da Previdência ainda será analisada no Congresso Nacional, sendo que, infelizmente, tem grande chance de ser aprovada se não houver forte reação da população, ou você, gráfico, terá 20 anos a mais de trabalho para sentir os efeitos da mudança da lei da aposentadoria”, alerta o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Gráficas do Estado de Pernambuco (Sindgraf-PE), Iraquitan da Silva. Este tempo a mais de trabalho é o presente do Michel Temer para você, trabalhador. Isto porque segundo a sua reforma previdenciária, os trabalhadores expostos à agente nocivos à saúde, como no caso dos gráficos, deve se aposentar com cinco anos de contribuição a menos que a aposentadoria do tipo por tempo de serviço, esta que Temer estabeleceu 49 anos de contribuição obrigatório ao INSS para não ter as perdas financeiras.

Com tal mudança, serão radicalmente prejudicados até os gráficos que se aposentariam na regra previdenciária atual pela modalidade por tempo de contribuição (35 anos). Isso porque a reforma cobrará mais tempo de contribuição para todo mudo. A classe trabalhadora terá de contribuir 49 anos ao INSS, exceto os que laboram em atividades insalubres (que será com 44 anos). Quem tentar se aposentar com menos tempo de contribuição até que conseguirá, mas terá perdas no valor da aposentadoria. O trabalhador nem se aposentar conseguirá, se tiver menos de 25 anos de contribuição e abaixo de 65 anos de idade. Pela regra previdenciária atual, já tem dinheiro quem acumular 15 anos de contribuição.

FONTE: Com informações do SindgrafPE