GRÁFICOS(AS) PARTICIPAM DA 1ª MARCHA DO MOVIMENTO FEMINISTA DE JUNDIAÍ APÓS CAMPANHA CONTRA ASSÉDIOS

MULHER1

A 1ª macha feminista contra a intolerância, discriminação e as violências às mulheres foi promovida pela primeira vez em Jundiaí/SP no último sábado. O evento, que foi realizado pela 1ª frente feminista da cidade, chamada Quem Calou Petronilha , saiu da praça do Fórum e seguiu até a Igreja Matriz. Dezenas de mulheres e alguns homens participaram do evento e chamaram a atenção dos jundiaienses sobre este problema social derivado da cultura patriarcal, do machismo  e de radicais valores morais e religiosos que negam à dignidade e à autonomia das mulheres. O Comitê Feminino das Profissionais Gráficas do Sindicato da classe (Sindigráficos) e dirigentes sindicais participaram do evento. Alguns dias antes, o Sindigráficos promoveu uma campanha em várias empresas do ramo na região, a exemplo da Log&Print, Nova Página, Cunha Facchini e da Jandaia, alertando para o problema do assédio sexual e o estupro, violência esta sofrida por uma trabalhadora gráfica de Cajamar a alguns anos, que foi assassinada após este crime. A Frente Feminista lembrou inclusive da grande ocorrência de violência sexista em Jundiaí e poucas condições da Delegacia de Defesa da Mulher para coibir esta questão.

MULHER2“O Sindigráficos é o sindicato cidadão e de base. Atuamos no cotidiano no chão de fábrica em defesa dos gráficos e em prol das questões em defesa das minorias sociais que são oprimidas pelos setores tradicionais da região. Por isto, apoiamos os movimentos negros, dos jovens, LGBT, das mulheres e muitos outros”, ressalta Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos presente na marcha do Grupo Quem Calou Petronilha Antunes, personalidade destacada pelo movimento feminista por ter sido uma das fundadoras de Jundiaí, como apontam historiadores, mas que tem seu nome silenciado pela Câmara Municipal e demais órgãos públicos.

MULHER0A marcha começou às 9h30 na praça do Fórum e terminou no início da tarde na frente da Igreja Matriz. Cerca de 60 pessoas participaram. Uma das mulheres presentes foi a coordenadora do Comitê das Profissionais Gráficas do Sindigráficos, Valéria Simionatto. Dentre os homens, Valdir Ramos e Leandro Rodrigues, ambos sindicalistas gráficos, e o assessor do sindicato, João Adriano, mais conhecido por Costinha, marcaram presença. “A sociedade precisa respeitar a mulher na rua, em casa, na fábrica, na igreja, na escola e em qualquer lugar. Basta de violência”, bradou Simionatto, que atua em defesa das trabalhadoras nas gráficas.

MULHER3Esta foi a 1ª marcha de mulheres em Jundiaí promovida pelo primeiro  movimento feminista da cidade, que completa um ano no próximo mês. “Jundiaí tem coletivo de mulheres sim! E estamos nas ruas para mostrar a nossa resistência feminista, que significa luta, diálogo, acolhimento e unidade com e entre quem já sofreu ou não alguma violência sexista”, diz Mariana Janeiro, fundadora da Frente Quem Calou Petronilha. O coletivo já tem outras iniciativas previstas. O grupo está em articulação com a Diretoria de Educação de SP para promover ações pedagógicas sobre questões de gênero com estudantes secundaristas. As integrantes da frente feminista se reúnem todos os meses em locais distintos.

MULHER5Movimento LGBT

O Sindicato cidadão dos gráficos ainda participou e apoiou a realização do evento do movimento LGBT de Jundiaí, realizado na quinta da última  semana no Sindicato dos Metalúrgicos. O evento, intitulado “O golpe ontem e hoje. Repressão e Resistência da população LGBT”, foi uma ação da ONG Aliança pela Livre Identidade e Apoio a Diversidade de Orientação Sexual, em parceria com a Frente Brasil Popular da Região e o coletivo Cume. A atividade não foi só para a população LGBT, mas para todas e todos que lutam pelos direitos humanos. Leandro e Valdir, do Sindigráficos, que participaram da atividade, parabenizam a ONG pelo excelente debate promovido e demais momentos. O evento teve como palestrantes a historiadora e ativista lésbica, Marisa Fernandes, e do cientista social, Julian Rodrigues,  consultor de políticas públicas da Secretaria de Relações Governamentais da Prefeitura de São Paulo.