GREVE DOS GRÁFICOS PODE ACONTECER SEGUNDA NA FAKKA APÓS QUEBRA DE ACORDO E NOVOS PROBLEMAS

fakka1 fakka2

Quando os trabalhadores e sindicalistas gráficos pensavam que tudo já caminhava para um final positivo com a correção dos muitos problemas, a Clicheria Fakka, em Valinhos/SP, voltou a praticar mais irregularidades e quebrou acordo de procedimentos para sanar pendências trabalhistas. Depois de uma paralisação no mês passado, com total atuação sindical, a empresa vinha cumprindo uma lista de exigências posta pela iniciativa da entidade de classe (Sindigráficos). Chegou a pagar todas as cestas básicas e vales-transportes em atraso com os gráficos. Também pagou uma parcela da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) em aberto. Só que ficou nisso. Ela continuou devendo o FGTS dos funcionários e as multas por atraso no pagamento salarial. A Fakka não apresentou os documentos exigidos pelo sindicato para demonstração dessas dívidas e suas respectivas quitações. A ação caracterizou a quebra do acordo firmado com o sindicato. E para pior, voltou a atrasar o vale-transporte e o salário dos funcionários. O último salário foi pago dias após o prazo final, e os vales ainda estão sendo pagos. O Sindicato promete reagir na próxima segunda-feira (21) se o acordo não for cumprido pelo Fakka.

fakka3“O empresário simplesmente achou que pode abonar a questão depois de ter se comprometido com o Sindigráficos e com os funcionários”, diz Leandro Rodrigues, presidente da entidade sindical. Mas, segundo fala o dirigentes, o patrão não pode e não se esquivará assim das referidas obrigações trabalhistas.

Ele antecipa que a Fakka tem até esta sexta para mostrar ao sindicato o contrato de parcelamento de pagamento do FGTS dos empregados junto à Caixa Econômica Federal. Este foi um dos acordos fechado com o sindicato. “Se não cumprir, pode se preparar para enfrentar paralisações dos gráficos, já partir do começo da próxima semana”, alerta.

A empresa também tem até sexta para mostrar todos os comprovantes de depósito bancário de pagamento salarial de cada empregado este ano. Os comprovantes servirão para contabilizar o valor total das multas através da identificação de todos os dias de atraso salarial. A multa é de R$ 42,67 por cada dia.

Portanto, o somatório dos dias equivale ao valor total que a Fakka terá de pagar respectivamente a cada um dos seus empregados. “Não abrimos não do direito do gráfico”.

Neste contexto, mais seis dias de multas, referentes ao total de dias do   atual atraso salarial da Fakka com seus trabalhadores, serão somados aos dias dos outros meses.

fakka4“Absurdamente, mesmo depois de todos os problemas e de firmar um acordo conosco para saná-los, a empresa, ao invés de pagar o salário no dia 5, conforme determina a Convenção Coletiva de Trabalho da classe, só efetuou na última sexta-feira (11)”, diz Valdir Ramos, diretor do Sindigráficos.

A entrega do vale transporte também voltou a atrasar. O órgão de classe já acompanha o caso e monitorará tudo até que seja regularizado, assim como aconteceu com o recente pagamento do valor dos vales transportes em atraso por vários meses em 2015.

O sindicalista lembra à empresa que, como hoje quase todos os funcionários da Fakka estão sindicalizados, dificilmente haverá espaço para sonegação de direitos trabalhistas sem a conhecimento e a pressão sindical no sentido de se fazer cumprir a referida legislação.