GRÁFICA JB PELEGATTI TEM 30 DIAS PARA MOSTRAR LISTA COM VALOR DE MULTA POR ATRASO SALARIAL E ETC

JBPELEGATTI1 JBPELEGATTI2

O proprietário da Gráfica Jair Bento Pelegatti, situada em Valinhos/SP, reuniu-se com dirigentes do órgão de classe da categoria (Sindigráficos) para tratar de irregularidades identificadas pela entidade, após queixas dos trabalhadores. A reunião ocorreu na sede do sindicato na semana passada. Foram questionadas várias irregularidades, a exemplo do não recolhimento do FGTS, atraso no pagamento salarial e pendências no pagamento das multas pelo atraso, além do não pagamento da 2ª parte da PLR de uma parcela dos empregados. O patrão reconheceu o débito. O sindicato deu um prazo de 30 dias, até a próxima reunião agendada entre eles, para que o empresário resolva tais questões. Até lá, o patrão terá de parcelar junto à Caixa Econômica Federal o débito com o FGTS. Ele também precisa fazer o levantamento do total de dias que atrasou o salário dos funcionários. O empresário terá de pagar R$ 42,67 a cada empregado por cada dia de atraso. Também terá de pagar o restante da PLR de quem ainda não recebeu. O dono da gráfica aceitou a exigência. 

JBPELEGATTI3“Ficou certo que, na próxima reunião, a empresa apresentará confissão da dívida do FGTS e um contrato sobre o parcelamento desse débito na Caixa “, fala Jurandir Franco, dirigente do Sindigráficos. O sindicalistas adianta que o empresário se comprometeu também em zerar todas as dívidas com o PLR dos gráficos que ainda não receberam. E ainda ficou de elaborar e mostrar uma relação com o nome de cada trabalhador e o valor corespondente à dívida ligada à multa por atraso no pagamento salarial. Todos os meses, a Jair Bento Pelegatti costuma atrasar a data do pagamento, que devia ser efetuada sempre no dia 5 de cada mês. A empresa garantiu que não mais voltaria a atrasar a data equivalente.

Outro problema em curso na empresa é a demissão de funcionários, sem a devida homologação e pagamento da rescisão contratual. Com isso, os trabalhadores tem enfrentado dificuldades para receber o FGTS e dar entrada no Seguro Desemprego. O Departamento Jurídico do Sindigráficos já começou a atuar no caso para garantir tal direito aos trabalhadores desligados. A entidade também está negociando com a JB Pelegatti para quitar adequadamente o pagamento da rescisão. No dia da reunião, chegou uma denúncia no sindicato de que houve mais sete demissões no local, sem a adequada homologação e pagamento. O Sindigráficos orienta os trabalhadores a procurar o órgão de classe.

Piperaltas

PIPERALTAS“Não resta mais outro caminho para a Piperaltas, senão ser fiscalizada pelo Ministério do Trabalho e ser autuada por várias irregularidades”, diz o sindicalista Valdir Ramos. A ação é necessária para constatar todas as irregularidades lá existentes contra os seus gráficos: salário pago abaixo do piso, não pagamento do PLR, cesta básica e outras direitos contidos na convenção coletiva da categoria. Este foi o direcionamento dado pelo Sindigráficos na última semana, após várias tentativas do órgão para resolver as falhas da empresa junto ao dono. O problema é que o dono tem fugido do sindicato. A gota d’água foi a falta do empresário em uma reunião marcada para acontecer no Ministério do Trabalho. Lá mesmo, Ramos solicitou  ao Ministério para converter a reunião em fiscalização. E assim será. Em breve, a empresa receberá fiscais do trabalho por lá.