HOJE É DIA DO GRÁFICO RECEBER A 2ª PARCELA DA PLR. VARIA DE R$ 318 A R$ 467. LUTE PRA MANTÊ-LA NA CCT

plr1

Nesta quarta-feira (5), dia de pagamento salarial, o gráfico deve receber uma remuneração maior de até R$ 467. O valor extra provêm do direito da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) – um benefício posto na atual Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) dos Gráficos. O dinheiro extra representa um acréscimo no salário líquido de até 6% mensal. O benefício resulta da luta da classe nas campanhas salariais do passado. A primeira luta foi para inserir a PLR na CCT e as mobilizações depois dos gráficos foi pela manutenção do direito a cada ano, pois ele precisa ser renovado durante as negociações coletivas lideradas pelo Sindicato da categoria (Sindigráficos) junto ao sindicato patronal (Sindigraf).  A entidade parabeniza os gráficos pela PLR 2016 e adverte que apenas poderão recebê-la em 2017, inclusive com o reajuste do referido valor, se cada um fizer a sua parte na campanha salarial que está iniciando.  É bom lembrar que a PLR correu o risco de não ser paga este ano, por meio da retirada do benefício na CCT 2015, como exigiu inicialmente os patrões. Isso só não ocorreu porque houve reação da classe, mas como não aconteceu uma grande reação, o valor não teve nenhum reajuste.

plr2Mais da metade dos funcionários nas gráficas de Jundiaí e Região vão receber a faixa maior do valor da PLR (duas parcelas de R$ 467,67). A data do pagamento da 1ª parcela venceu em 5 de abril. Hoje é a data limite para pagar a 2ª parcela. Existem quatro faixas de remuneração da PLR. Ela é definida pela quantia de empregados nas empresas. Mais de 80% das gráficas têm até 19 trabalhadores. Nestes locais, os gráficos receberão a 2ª parcela no valor de R$ 318, que corresponde a  faixa 1 da PLR. O  valor aumenta para R$ 346,08 nas empresas com 20 até 44 funcionários. Sobe para R$ 402,18 quando há 50 a 99 trabalhadores. A partir de 100 gráficos, paga-se R$ 467,67.

2A PLR é bem relevante para o bolso do trabalhador. A remuneração do gráfico cresce. O benefício tem impacto positivo sobre o salário líquido do trabalhador. Em média, levando em conta as quatro faixas, da menor a maior, o benefício representa um aumento de 5,2% do salário mensal”, ressalta o advogado do Sindigráficos, Luis Carlos Laurindo. O jurista aproveita para lembra aos gráficos que a PLR, por exemplo, assim como cesta básica, não são bondades dos empresários, mas direitos postos pela CCT defendidos pelos trabalhadores durante a campanha salarial.
5“A PLR 2016 não existiria se dependesse dos patrões e nenhum gráfico estava recebendo hoje a 2ª parcela do benefício. O sindicato patronal exigiu a extinção do benefício na campanha salarial do ano passado. A reação dos trabalhadores na época e a posição dos sindicalistas evitou este fim”, diz Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos. Ele conta que nada impede agora que os empresários tentem atacar a PLR nesta campanha. O3s gráficos precisam manter e ampliar a luta este ano para manter a PLR na nova CCT, bem como ampliar seu valor, recuperando as perdas econômicas diante da alta inflação dos últimos dois anos.

O Sindigráficos alerta aos trabalhadores que não receberem a 2ª parcela da PLR hoje para denunciarem ao órgão de classe. “Apesar da maioria das empresas pagarem o benefício como determina da CCT, ainda há, infelizmente, alguns patrões que sabem cobrar as obrigações do gráfico, mas esquecem do seu dever. O pagamento da PLR é um deles”, conta Jurandir Franco. DENUNCIE . Faça vale o seu direto. DENUNCIE AQUI!