HOJE TODAS GRÁFICAS DEVEM PAGAR REMUNERAÇÃO MAIOR PARA OS PROFISSIONAIS DEVIDO NEGOCIAÇÃO DO SINDICATO

Nesta sexta-feira (5), todas as gráficas devem pagar o salário mensal dos trabalhadores ou pagarão multa de quase R$ 50 por cada dia de atraso. O dia 5 de cada mês é sempre o último dia para o pagamento ou o gráfico ganha mais através da multa. Isso é resultado da negociação do Sindicato (Sindigráficos) com patrões e consta na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) da categoria. E tem mais. Garantiu ainda uma remuneração maior para março e agosto através de parcelas da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). Assim, além do salário de hoje na folha de pagamento do gráfico, os empresários são obrigados a desembolsarem mais dinheiro

O acréscimo na remuneração deve variar de R$ 302,86 até R$ 445,40 a título de PLR. Tudo deve estar descrito na folha de pagamento. Os valores variam porque depende do número de funcionários por empresa em 2018. Aquela com até 19 profissionais, devem pagar hoje R$ 302,86 (1ª parcela da PLR). E a 2ª parcela com o mesmo valor deve ser paga no dia 5 de outubro. Não é benevolência do patrão, mas uma obrigação por conta da negociação feita pelo sindicato durante a campanha salarial ano passado.

Nas gráficas com 20 a 49 funcionários, o valor da parcela é de R$ 329,60. Onde tem de 50 a 99 gráficos, a parcela é de R$ 383,03. E de R$ 445,40 nas empresas com 100 ou mais trabalhadores. A entidade lembra que a PLR não é lei, ou direito adquirido, mas é resultado da negociação sindical anual. Portanto, o patrão não está dando nada a ninguém hoje, mas é sua obrigação. O Sindigráficos é quem tem garantido tal dinheiro para classe. O patronal inclusive tenta tirar a PLR da negociação com o sindicato todo ano. Enquanto não consegue tirar, tem mantido o valor congelado já por três anos. Só a luta dos gráficos pode manter a PLR e elevar os valores.

Todavia, o pagamento da PLR este ano continua por conta do sindicato. É por isso que a remuneração dos trabalhadores está sendo maior agora. “Patrão não dá nada, mas cumpre a nossa convenção anual de direitos. Não é direito adquirido, mas negociação. E acabará se a classe não lutar junto com o Sindicato para mantê-lo nos próximos anos. O presidente do Brasil, eleito com o voto de muitos gráficos, diz inclusive que o trabalhador tem muito direitos”, diz Leandro Rodrigues, presidente do Sindigráficos.

A PLR dos gráficos, por sua vez, só existe por conta da luta dos sindicatos da categoria no estado desde o final da década de 1990, tendo os gráficos de Jundiaí como uma das regiões pioneiros. A classe recebe a PLR antes ainda de uma lei de 2000 que recomenda empresas a fazerem comissões de fábrica para verificarem a possibilidade de um pagamento atrelado a metas – lei esta que, se depender dela, apenas em algumas gráficas teria tais comissões formadas e metas justas para liberar o pagamento da PLR.

Só as grandes gráficas têm condições de fazer tais comissões e, mesmo assim, hoje são raras as que fazem e estabelecem metas e pagamento justos. “Se dependesse dessa lei, ninguém das pequenas, médias e até de grandes gráficas estariam recebendo hoje a PLR no seu holerite”, diz Jurandir Franco, diretor do Sindigráficos. Por outro lado, em prol da classe trabalhadora, a luta do sindicato, amplificada pelos demais sindicatos dos gráficos de SP, sob a liderança da Federação Paulista da classe (Ftigesp), tem garantido a PLR e o seu pagamento para os gráficos desde 1996.

Dessa forma, valorize a luta do Sindigráficos pela conquista e garantia da PLR. O gráfico deve denunciar ao sindicato se a empresa não pagar. Ela é obrigada. E agora todos trabalhadores sabem o porquê. Mas a garantia de receber a PLR depende da unidade do empregado junto ao sindicato. Não basta denunciar. O trabalhador precisará buscar encontrar uma saída do não pagamento junto com o Sindigráficos, até a regularização do caso. Sindicalize-se AQUI e garante o sindicato forte para continuar garantindo a PLR para a classe, bem como seu devido pagamento, e demais direitos.