LOG&PRINT FAZ MEIA CULPA DIANTE DE PROBLEMAS E DIZ QUE RESOLVERÁ QUESTÕES DA HORA-EXTRA, ASSÉDIO E DO NOVO ACT

Nesta terça-feira (30), haverá uma nova reunião entre o diretor Industrial da Log&Print, Maurício Lamas, e o Sindicato da categoria (Sindigráficos) para buscar corrigir problemas relatados pelos empregados. No primeiro encontro há poucos dias, após a empresa fazer meia culpa frente falhas de sua comunicação interna e do RH que levaram na demora para ocorrer a reunião com o sindicato e no não pagamento da hora-extra dos gráficos dentro do mês trabalhado, além do excesso delas, entre outros assuntos, Lamas garantiu mudanças. Além de anunciar a reestruturação do RH para a correção das falhas e o combate ao assédio moral denunciado, o gestor aprovou que o sindicato consulte os funcionários sobre a volta da votação secreta para troca de feriados e se a classe reivindicará mais direitos no Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), a ser renovado em poucas semanas.

A Log&Print tem passado uma lista em aberto sobre a troca de feriados e isso pode caracterizar pressão sobre os trabalhadores para aceitar a troca. O Sindigráficos exigiu o retorno da votação secreta. Lamas alegou que a lista foi um pedido dos próprios gráficos. O sindicato questionou. Alegou que há dezenas de queixas dos gráficos dizendo o contrário. Ele ficou de rever a situação junto à direção da empresa para dar um retorno amanhã. Garantiu também que reestruturará o RH da gráfica para sanar problemas quanto à demora do pagamento das horas-extras trabalhadas no mês.

Lamas também garantiu que a gráfica tomará ações enérgicas para coibir o crime de assédio moral contra os funcionários praticados por alguns dos líderes, caso sejam identificados conforme as denúncias dos gráficos para o sindicato. Ele inclusive solicitou ao Sindigráficos que repasse os nomes dos supostos assediados para questionar sobre a pressão sobre a classe.

O excesso de horas-extras exigidas aos gráficos, mesmo a empresa não estando no tradicional período de alta produção, pode caracterizar que é preciso contratar mais empregados do que já vem fazendo recentemente. Os trabalhadores têm se queixado inclusive que o ACT de jornada laboral, onde reduziu o tempo de refeição para garantir a folga em dois sábados mensais, não está compensando diante do elevado número de hora-extra, comprometendo até o tempo para o descanso e o lazer no fim de semana.

Até amanhã, antes da reunião com Lamas e a equipe jurídica da gráfica, o Sindicato ainda está consultando os trabalhadores sobre a renovação do ACT, garantido em 2017 após muita luta. A consulta é se há novas reivindicações, ou sua manutenção integral. O ACT vence em dezembro.